Home Cultura Samba-enredo da Mangueira homenageia Marielle e Dandara
Carnaval 2019

Samba-enredo da Mangueira homenageia Marielle e Dandara

Com o tema 'História pra ninar gente grande', a escola de samba carioca levará à Marquês de Sapucaí um olhar diferenciado sobre a história do Brasil
Publicado por Redação RBA
11:19
Compartilhar:   
Fernando Grilli/Riotur
Estação Primeira de Mangueira

Proposta da Mangueira, em 2019, será apresentar o lado do Brasil dominado, e não ‘descoberto’

São Paulo – “Brasil, chegou a fez de ouvir as Marias, Mahins, Marielles, Malês“, assim cantará a Estação Primeira de Mangueira no seu samba-enredo do Carnaval de 2019, que vai homenagear, entre outras, a vereadora do Psol-RJ Marielle Franco, morta a tiros, em março passado, junto com Anderson Gomes, que dirigia o carro em que foram emboscados, no centro do Rio.

Com o tema “História pra ninar gente grande”, a escola anuncia que levará à Marquês de Sapucaí um olhar diferenciado sobre a história do Brasil, representando o lado do Brasil dominado, e não “descoberto”, preterido pela narrativa tradicional.

“Ao propagar o mito do povo pacífico, ensinando que as conquistas são fruto da concessão de uma ‘princesa’ e não do resultado de muitas lutas, conta-se uma história na qual as páginas escolhidas o ninam na infância para que, quando gente grande, você continue em sono profundo”, diz, em sinopse, o site da escola

O samba-enredo para o desfile da “verde e rosa”, como é conhecida a Mangueira, foi definido em outubro e é uma obra coletiva de autoria de Deivid Domênico, Tomaz Miranda, Mama, Marcio Bola, Ronie Oliveira e Danilo Firmino.

Confira a letra:

Brasil, meu nego
Deixa eu te contar
A história que a história não conta
O avesso do mesmo lugar
Na luta é que a gente se encontra

Brasil, meu dengo
A mangueira chegou

Com versos que o livro apagou
Desde 1500
Tem mais invasão do que descobrimento
Tem sangue retinto pisado
Atrás do herói emoldurado
Mulheres, tamoios, mulatos
Eu quero um país que não está no retrato

Brasil, o teu nome é Dandara
Tua cara é de cariri
Não veio do céu
Nem das mãos de Isabel
A liberdade é um dragão no mar de Aracati

Salve os caboclos de julho
Quem foi de aço nos anos de chumbo
Brasil, chegou a vez
De ouvir as Marias, Mahins, Marielles, malês

Mangueira, tira a poeira dos porões
Ô, abre alas pros teus heróis de barracões
Do Brasil que se faz um país de Lecis, jamelões
São verde e rosa as multidões

Assista: