Outras narrativas

Documentário ‘Divinas Divas’ será exibido hoje em São Paulo

Histórias sobre as travestis dos anos 1960 integra programação do Itaú Cultural nesta terça (11), às 19h, com entrada gratuita

Divulgação Youtube/Reprodução
Divinas Divas

Em entrevista na Rádio Brasil Atual, a roteirista Carol Benjamin defendeu o fim de estigmas às travestis

São Paulo – O Itaú Cultural exibe, nesta terça-feira (11), às 19h, o filme Divinas Divas, documentário de maior público no Brasil em 2017. Dirigido por Leandra Leal que também assina o roteiro ao lado de Carol Benjamim, Lucas Paraizo e Natara Ney, o filme resgata a história da primeira geração de artistas travestis nos anos 1960, entre elas a transformista Rogéria, morta no ano passado.

À apresentadora Fabiana Ferraz, na edição desta terça-feira (11) do programa Manhã Brasil Atual, a roteirista e produtora Carol, que participará ao final da sessão em São Paulo de um debate com o público sobre os processos de criação e roteiro da obra, contou que o filme retrata as memórias de infância da atriz Leandra Leal, que mergulha na história de oito transformistas que atuavam em plena ditadura civil-militar em um teatro no Rio de Janeiro. 

Com questões que se ampliam ao contemporâneo, o filme retrata ainda a vida das artistas aos 70 anos em que, segundo Carol, é atravessada pelo descompasso do imaginário comum em associar as travestis a um certo “fetiche da beleza e juventude” contrário a representação da velhice.

“Na verdade elas são cantoras, comediantes, atrizes, são artistas que têm muito talento de palco e que levaram isso ao extremo, ao radicalismo, de transformar o próprio corpo em uma obra de arte”, explica a roteirista e produtora. “Elas são exemplos muito importantes para a gente ter e retirar a travesti daquela caixinha de prostituição, marginalidade e, entender, que são seres humanos e cada uma tem sua história de vida”.

Serviço:

Terças de Cinema – Divina Diva e bate-papo  
Terça-feira (11), às 19h / Duração: 110 minutos 
Sala Itaú Cultural (piso térreo) – 224 lugares. Entrada gratuita
Avenida Paulista, 149, São Paulo, (11) 2168-1777
 

Ouça a entrevista completa: