administradores da folia

Gestão Doria não tem estimativa de gasto com carnaval de rua em São Paulo

Mas o secretário de Cultura espera que cidade tenha gasto zero com o evento, que seria bancado apenas pelos patrocinadores

Danilo Verpa/Folhapress
carnaval

No ano passado, cerca de um milhão de pessoas participou do carnaval de rua em São Paulo

São Paulo – O vice-prefeito da capital paulista e prefeito em exercício, Bruno Covas (PSDB), afirmou hoje (13) que a gestão de João Doria (PSDB) não tem estimativa do quanto será investido para realização do carnaval de rua na cidade, que vai do próximo dia 17 até 5 de março. “O que temos é o valor do patrocínio deste ano, que será de R$ 15 milhões. Mas todo o gasto só vamos saber ao final, quando fizermos o balanço do evento, porque não tem como prever o andamento”, disse Covas. Ele afirmou ainda que vai ser ampliado o número de banheiros, guardas civis e agentes de fiscalização.

O secretário municipal da Cultura, André Sturm, garantiu, no entanto, que o gasto deste ano “certamente será menor” que em 2016 e que a gestão trabalha com a perspectiva de ter gasto zero. No passado, a gestão de Fernando Haddad (PT) investiu R$ 10,5 milhões no carnaval de rua, dos quais R$ 3,5 milhões foram repassados pelos patrocinadores.

O evento de 2016 teve 355 desfiles, além de cinco palcos com programação cultural, movimentando cerca de um milhão de pessoas e R$ 400 milhões. Não foram registradas ocorrências policiais graves. Neste ano, serão 391 blocos e dois palcos com atrações, um no Anhangabaú, região central, e outro no Largo da Batata, zona oeste. Confira a agenda completa dos desfiles.

Entre as novidades deste ano, está a exclusão dos blocos de fora da capital paulista, que teriam de pagar R$ 240 mil para se apresentar. Com isso, o pré-carnaval realizado no ano passado na Avenida Tiradentes, na região central, está cancelado. A única exceção é o bloco da cantora Daniela Mercury, que negociou um valor menor com a prefeitura e vai se apresentar como os demais.

Além disso, estão proibidos os desfiles em várias vias da cidade, como as Ruas Butantã e Paes Leme, em Pinheiros, Avenidas Nove de Julho e Cidade Jardim, na região centro-oeste, no Elevado Costa e Silva e na Praça Roosevelt. O horário de dispersão varia de acordo com a prefeitura regional. Na Vila Mariana é às 19h30, e na Lapa será às 21h – ambos eram às 22h. Na região da Sé, a dispersão se mantém às 22h e em Pinheiros, às 20h.