Bom Retiro

Companhia Tuov celebra 50 anos de teatro popular com exposição

Material resgata história engajada do grupo que leva o teatro para regiões periféricas e mistura as encenações com reivindicações populares. Mostra fica em cartaz em São Paulo até 2 de julho

Divulgação
Tuov

Grande parte das apresentações do Tuov foi feita gratuitamente para plateias populares

São Paulo – Mais de 300 imagens, vídeos, áudios, figurinos e adereços cênicos contam a história de uma companhia que leva há 50 anos teatro engajado para salões paroquiais, associações de bairro, escolas e ruas de regiões periféricas de São Paulo, do Brasil e do mundo. Em cartaz até 2 de julho na sede do grupo, no bairro do Bom Retiro, região central da capital paulista, Tuov 50 Anos – Em Busca de Um Teatro Popular celebra a história de resistência do grupo Teatro Popular União e Olho Vivo (Tuov).

Criada em 27 de fevereiro de 1966, a companhia já se apresentou para quase 4 milhões de pessoas em vários países, com grande parte das encenações realizadas gratuitamente para plateias populares em bairros da Grande São Paulo. O grupo que tem à frente o dramaturgo César Vieira sempre se dedicou ao que se convencionou chamar de arte engajada, misturando desde sempre o teatro com reivindicações populares, como moradia digna, pavimentação de ruas, criação de creches, entre muitas outras demandas sociais. Desde sua criação, o Tuov tem como missão levar o teatro para os que dificilmente teriam acesso a ele.

É esta a história que a mostra resgata a partir de um material inédito exibido em todos os espaços da sede da companhia, dos camarins, passando pelo galpão e chegando até a cozinha comunitária. Com curadoria do arquiteto Alexandre Benoit, a exposição também narra a trajetória internacional da trupe, seu trabalho pela interligação latino-americana de grupos teatrais e a repercussão de suas montagens e dos roteiros em países como França, Itália, Polônia e Egito.

O dramaturgo César Vieira, nome artístico de Idibal Pivetta, em paralelo ao trabalho à frente do Tuov, militou como advogado durante a ditaduraTuov 50 Anos – Em Busca de Um Teatro Popular narra ainda a história do dramaturgo César Vieira, nome artístico de Idibal Pivetta que, em paralelo ao trabalho à frente da companhia, militou fortemente durante a ditadura. Além de lutar pela memória dos desaparecidos do regime militar, César atuou como advogado pela liberdade de presos políticos. A mostra resgata, por exemplo, um episódio em que Pivetta enfrentou um ministro do governo civil- militar pela liberação de um texto e sua atuação para arrecadar fundos para uma greve de costureiras.

Para o dramaturgo, a retrospectiva também é uma forma de apontar para o futuro, já que “a luta por uma arte popular é tão atual hoje como nos anos 1970”, quando a companhia foi criada. “Entendemos que nossa maior justificativa para realização do projeto é seguir na trajetória de resistência e luta através de um teatro inteiramente popular, pensado e destinado a todo instante ao público e à cidade de São Paulo, principalmente seus bairros populares e periféricos”, afirma César Vieira. A exposição pode ser visitada de quarta a sábado, das 14h às 18h.

Conheça um pouco do trabalho da companhia Tuov no vídeo feito por Graciela Rodrigues, da Captura Filmes:

Tuov 50 Anos – Em Buscade um Teatro Popular
Quando: até 2 de julho, de quarta a sábado, das 14h às 18h, e excepcionalmente no domingo, dia 2 de julho
Onde: Teatro Popular União e Olho Vivo
Rua Newton Prado, 766, Bom Retiro, São Paulo
Quanto: grátis
Classificação: livre
Mais informações: uniaoeolhovivo.com.br, www.facebook.com/tuovivo, ou pelo telefone (11) 3331-1001