Home Cultura Mostra em Sesc de São Paulo celebra expressões culturais de matrizes africanas
Consciência negra

Mostra em Sesc de São Paulo celebra expressões culturais de matrizes africanas

Até março, unidade do Belezinho traz na programação shows, contação de histórias, filmes, peças e outras atividades que valorizam a representatividade negra
Publicado por Xandra Stefanel
09:39
Compartilhar:   
Reprodução
Cinema

‘Cores e Botas – A Magia da Mulher Negra’ conta a história de Joana, uma menina que sonha em ser Paquita da Xuxa

São Paulo – A unidade do Sesc Belenzinho promove, até março de 2017, a Mostra Motumbá – Memórias e Existências Negras, que integra diversas linguagens artísticas e ações culturais para apresentar um panorama das poéticas, estéticas e temáticas produzidas e interpretadas por grupos e artistas negras, negros e periféricos. Segundo os organizadores, as atividades “valorizam a representatividade de matrizes africanas legitimadas por trajetórias de vida e posicionamentos sociopolíticos”.

Até dia 28 de fevereiro, a unidade recebe aos sábados e domingos, das 14h às 16h, o Encontro de Partilhas: Histórias, Livros e Jogos, no qual o Coletivo Cafuzas dividem com as crianças e seus pais narrativas e jogos relativos às culturas indígenas, africanas e afro-brasileiras. De 5 a 8 de janeiro, Martinho da Vila apresenta todas as músicas de seu disco de estreia. Farão parte do show do sambista as músicas O Pequeno Burguês, Casa de Bamba, Quem é do Mar Não Enjoa, Yayá do Cais Dourado, Quatro Séculos de Modas e Costumes, entre outras.

Na sexta-feira, dia 13 de janeiro, a funkeira trans MC Linn Da Quebrada faz um show que mistura música, artes visuais, dança e protesto pela quebra de paradigmas sexuais. De sexta a domingo, de 15 a 22 de janeiro, Lázaro Ramos apresenta Namíbia, Não, peça teatral dirigida por ele sobre uma medida provisória que obriga que todas as pessoas que têm “melanina acentuada” sejam enviadas à África, como forma de reparação social. Com interpretação de Fernando Santana e Aldri Anunciação, o espetáculo mostra o revés da diáspora vivida pelo povo africano do Brasil escravocrata.

De 14 a 17 de janeiro, a artista Priscila Rezende apresenta a performance Bombril, na qual esfrega objetos de material metálicos com seus próprios cabelos afim de confrontar o espectador com preconceito. Motumbá exibe no dia 20 de janeiro, às 16h, o filme Cores e Botas – A Magia da Mulher Negra, da diretora Juliana Vicente, sobre Joana, uma menina negra que sonha em ser Paquita da Xuxa. No dia seguinte, é a vez do curta-metragem de Viviane Ferreira, O Dia de Jerusa, sobre uma moradora do bairro do Bixiga que recebe em casa uma pesquisadora de opinião, com quem compartilha momentos de felicidade.

A mostra também traz oficina de passinho, mesas de debate sobre representação e empoderamento da mulher negra, o show Mulheres do Rap, entre outras atividades.

Confira a programação completa em http://bit.ly/MOTUMBA.

registrado em: , ,