Cidadania

Filme acompanha os desafios de nove meninas de cinco regiões do país

Curta-documentário 'Essa é a Minha Vez!', feito pela ONG Plan International Brasil, discute o empoderamento de jovens, além de questões de violência, desigualdade, preconceito e exclusão

Reprodução Plan Brasil
Meninas

Filme apresenta nove meninas diferentes, com sonhos, planos, perspectivas e um desejo de mudança que as une

Por trás dos sorrisos reluzentes de nove garotas vindas das cinco regiões do país, há muitas preocupações com o futuro, com suas famílias e comunidades. O mini-documentário Essa é a Minha Vez! reuniu nove meninas que relatam suas experiências e os vários desafios que passaram e ainda passam em suas vidas: questões de violência, racismo, preconceito, desigualdade de gênero e pobreza.

Além de suas dificuldades, elas também contam como estão se tornando protagonistas de suas próprias histórias e como influenciam suas comunidades com ações que combatem o preconceito, seja ele de gênero, cor ou de situação social. “Falar, contar, dividir é tomar as rédeas da história. Quem não tem voz acaba por não existir. São nove meninas. Nove menimas com sonhos, planos, perspectivas. Nove meninas de diferentes lugares do Brasil. Nove meninas diferentes, mas com um desejo de mudança que as une. Nove meninas com voz”, narra o documentário.

O filme é resultado das ações do projeto This Is My Moment (Essa é a minha vez), da ONG Plan International Brasil. A iniciativa, que teve início em 2015, visa ao envolvimento e à visibilidade do papel das meninas no contexto dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, firmados na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), no final do ano. Além do Brasil, participaram do projeto outros três países: Paquistão, Quênia e Filipinas.

Aqui, foram promovidos encontros locais entre vinte meninas de 14 a 19 anos nas cinco regiões do país, nos estados do Maranhão, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Pará e Brasília. Desses eventos, foram escolhidas duas jovens de cada região que participaram de um encontro na capital, onde foram escolhidas duas participantes para representar o país na Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Luiza e Irlane, ambas de 17 anos, se encontraram com outras garotas do mundo todo para pedir que os líderes mundiais coloquem os direitos das meninas na agenda de desenvolvimento pós-2015.

Com entrevistas das jovens e dos organizadores do projeto, o filme compõe um emocionante retrato que prova que existem muitas meninas em todos os cantos do país pensando e agindo para o crescimento do empoderamento das mulheres desde cedo. “Eu acho que a gente tem de conversar bastante sobre o tema, explicar sobre a igualdade de gênero, que a gente pode ter os direitos iguais, os mesmos que eles, e eles têm de fazer as mesmas coisas que a gente. Eu acho que é uma questão de bastante diálogo e tentar que aquilo entre na cabeça das pessoas (…). Eu sou a protagonista da minha história, com as minhas escolhas. (…) Eu quero ter e voz. E quero poder falar e ser ouvida. Então é o meu momento agora”, afirma Irlane, do município maranhense de Codó.

Assista ao curta completo: