Perda

Morre no Rio o ator e militante do movimento negro Antônio Pompêo

Divulgação/Fundação Palmares Antônio Pompêo também lutava pela preservação e promoção da cultura afro-brasileira Rio de Janeiro – O ator e artista plástico Antônio Pompêo, de 62 anos, foi encontrado morto na […]

Divulgação/Fundação Palmares
Antônio Pompêo

Antônio Pompêo também lutava pela preservação e promoção da cultura afro-brasileira

Rio de Janeiro – O ator e artista plástico Antônio Pompêo, de 62 anos, foi encontrado morto na tarde de ontem (5) em sua casa, no bairro de Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro. A Polícia Militar, que achou o corpo, não informou a causa da morte do ator.

Paulista da cidade de São José do Rio Pardo, nascido em 1953, Antônio Pompêo estreou no cinema em 1976, no filme Xica da Silva, de Carlos Diegues. Atuou em mais 11 filmes, entre os quais Quilombo (1984), também de Diegues, e O Xangô de Baker Street (2001), de Miguel Faria Jr. Na televisão, participou de 24 novelas e minisséries, a partir de 1975. A última aparição foi em Balacobaco, na TV Record, em 2012.

Militante do movimento negro, Pompêo foi presidente do Centro de Documentação e Informação do Artista Negro (Cidan) e diretor de Promoção, Estudos, Pesquisas e Divulgação da Cultura Afro-Brasileira, da Fundação Palmares, vinculada ao Ministério da Cultura.

Em seu perfil no Facebook, a atriz Zezé Motta, que contracenou com o ator em Xica da Silva, destacou o papel de Pompêo em defesa da cultura afro-brasileira. “A dor é grande! Descanse em paz, meu amigo”, escreveu a atriz na rede social.