Home Cultura Filme retrata vida de brasileiro que é o único surfista biamputado do mundo
Cinema

Filme retrata vida de brasileiro que é o único surfista biamputado do mundo

'Pauê – O Passo de Um Vencedor', de Fábio Cappellini e Alessandra Pereira, conta a história de superação de Paulo Eduardo Chieffi Aagaard que aos 18 anos sofreu um acidente e perdeu as duas pernas
Publicado por Xandra Stefanel
15:52
Compartilhar:   
Divulgação
Superação

Pauê é o único surfista biamputado do mundo, é campeão mundial de triatlon e ainda dá palestras motivacionais

Pauê tem um brilho nos olhos que reflete toda sua paixão pela vida. Segundo sua mãe, ele sempre foi assim e assim continuou mesmo depois do acidente que o fez perder as duas pernas. Em junho de 2000, aos 18 anos, o garoto atravessava uma linha férrea desativada, em São Vicente, no litoral de São Paulo, quando sentiu o forte impacto do trem em seu corpo. Ao tentar se levantar, percebeu que não tinha mais as duas pernas.

Os bombeiros que o socorreram disseram que qualquer pessoa “normal” teria morrido no acidente. Mas não Pauê. Tudo o que ele dizia às pessoas que lhe resgataram é que, mais que nunca, queria viver. É esta garra que retrata o documentário Pauê – O Passo de Um Vencedor, que estreiou na última quinta-feira (19) no Cine Belas Artes, em São Paulo.

Ainda no hospital, com muita dor e muitas incertezas, Pauê perguntou: “’Mãe, o que você acha, quando eu sair daqui as pessoas vão ficar olhando pra mim? Como é que vai ser?”. Cristina Chieff respirou fundo, saiu do quarto por alguns instantes e, quando voltou, trouxe consigo a resposta que o garoto carrega até hoje: “Olha, meu filho, as pessoas vão te ver da maneira como você encarar isso e da maneira que você se impuser. Se você achar que você é um coitadinho, ficar com pena de você, ficar em casa, triste, no começo as pessoas vão olhar para você e falar ‘Nossa, coitado!’ e depois vão se afastar”. “O que a minha mãe me disse com certeza foi o fator determinante para o restante da caminhada. Foi o que me deu compreensão e certeza de que eu seria uma pessoa normal”, afirma Pauê no filme.

Ele sabia que teria muito esforço pela frente: era preciso que a amputação cicatrizasse e que ele reaprendesse a andar com uma prótese. Depois desta primeira etapa, ele queria retomar as atividades físicas, que sempre foram muito importantes em sua vida de surfista e “garoto de praia”. As bolhas e os machucados causados pelas próteses não o impediram de retornar à vida ativa e agora ele já tinha certeza de que traçaria, com as novas pernas, um caminho de autossuperação.

Pauê se tornou o primeiro e único surfista biamputado do mundo. Dois anos depois do acidente, começou a treinar como triatleta e ganhou seu primeiro título de Campeão Mundial da categoria em Cancún, no México. Hoje, é pentacampeão do Troféu Brasil de Triathlon, bronze no Pan-Americano da modalidade e tem outros títulos em categorias isoladas (natação, ciclismo e corrida). É também palestrante e autor de Caminhando com as próprias pernas, livro que narra suas memórias e que inspirou o documentário.

Para contar toda esta história, o filme também traz relatos e depoimentos de amigos, familiares e atletas que acompanharam sua trajetória. Entre os entrevistados estão o músico Gabriel O Pensador; o canoísta Fábio Paiva; o surfista brasileiro de ondas grandes Carlos Burle; o campeão brasileiro de longboard Picuruta Salazar; e o campeão brasileiro de surf e escritor Otaviano Taiu Bueno.

É um filme para se ater à história e não ao formato, aos recursos visuais de corte entre as imagens, nem às músicas. De qualquer forma, Pauê – O Passo de Um Vencedor ganha o espectador pela força de vontade e pelo carisma do protagonista, que passa uma emocionante mensagem de superação.

Pauê – O Passo de um Vencedor – Trailer from Raiz Distribuidora Audiovisual on Vimeo.

Pauê – O Passo de um Vencedor
Direção: Fábio Cappellini e Alessandra Pereira
Produtores: Cristiane Amaral, Fernanda Simonsen, Gabriela Drummond.
Produtor executivo: Fábio Cappellini
Roteirista: Alessandra Pereira
Diretor de fotografia: Allan Montrezol, Fábio Cappellini
Trilha sonora: Rubens Nobre
Edição de som: Rubens Nobre
Montagem: Daniel Azevedo
Distribuição: Raiz Distribuidora
País: Brasil
Ano: 2013
Duração: 72 minutos