Em rede

Ministério quer ampliar articulação dos Pontos de Cultura do país

Representante do órgão esteve hoje (10) em São Paulo para conhecer coletivos culturais indígenas, de terreiro, grafiteiros e poetas de saraus da periferia

MinC/Divulgação
Capão Cidadão

Secretária Ivana Bentes (de azul) visitou a ONG Capão Cidadão, na zona sul de São Paulo

São Paulo – Durante este ano, o Ministério da Cultura (MinC) planeja enviar representantes para conhecer os Pontos de Cultura do país, de forma a se inteirar das atividades oferecidas e articulá-las nos territórios, em uma ação Chamada Caravana Cultura Viva. Hoje (10), a secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Ivana Bentes, esteve em São Paulo, onde visitou coletivos culturais das periferias, entre eles, grupos indígenas, de terreiros, grafiteiros, poetas de saraus e funkeiros.

Os Pontos de Cultura são projetos financiados e apoiados pelo MinC e implementados por entidades governamentais ou ONGs em ações de impacto sociocultural nas comunidades.

A secretária foi à zona sul da cidade, onde conheceu a casa da União Popular de Mulheres e acompanhou uma apresentação do Banco União Sampaio, uma alternativa às instituições financeiras tradicionais, que criou uma moeda usada nos comércios da região e presta outros serviços bancários e um sistema integrado de crédito para produção. “Durante muito tempo se falou que os Pontos eram insustentáveis porque dependiam do Estado. Aqui, temos uma reversão dessa lógica a partir dos novos arranjos, moeda solidária e pequenos empreendimentos. Esse é o modelo do novo Cultura Viva que queremos dar escala”, afirmou.

Ivana também esteve com índios guaranis, comunidades tradicionais de terreiro e com coletivos de cultura periférica, como saraus, ocupações artísticas e grupos de funkeiros. “Desde janeiro, estamos percorrendo o Brasil, conhecendo, dialogando e aprendendo com os Pontos de Cultura e outros públicos da diversidade cultural brasileira”, destacou Ivana ao site do Ministério da Cultura. “Foram atividades que, além de aproximar o MinC da sociedade civil, possibilitaram o mapeamento sensível das demandas dos grupos, organizações e artistas.”

As visitas da Caravana Cultura Viva surgiram em julho passado, a partir da sanção da Lei Cultura Viva, que garante mais recursos para os Pontos de Cultura e mais simplicidade nos processos de seleção, convênio e prestação de contas. Além disso, cria o Cadastro Nacional dos Pontos. Outra ação prevista é a criação, ainda este ano, de um programa de TV online chamado Canal Cultura Viva, que vai divulgar atividades dos Pontos.

Os encontros de São Paulo foram articulados pelas organizações Agência Solano Trindade, União Popular de Mulheres, Capão Cidadão, Rede Afro Ambiental, Terreiro de Ogun Guerreiro e Katina da Silva, Núcleo de Convivência de Idosos e Centro de Defesa e Convivência da Mulher, Espaço Comunidade e Teatro Popular Solano Trindade.