Do que estamos nos alimentando?

A Terra nos dá tudo: é dela que vem alimento e saúde. Tratamos a Terra como nos tratamos. E olha como estamos

Arte RBA

Tempos de coragem. Força. Harmonia. E alegria também: lembremos. Abraços “proibidos”, mas o sorriso continua livre. O inverno soprou antes. Tempo de caverna, de ninho, de olhar pra dentro, pro nosso universo. Que é esse que tá aqui fora também. Do que nos alimentamos?

De notícias catastróficas? Filmes assombrosos? Séries desesperadoras? E nossas conversas? Só falam mal de alguém? 

Só maldizem nossa vida, cidade, país, planeta? Nos alimentamos de medo ou coragem? Essa tensão toda te faz piorar tudo ou te leva a refletir sobre como transformar hábitos, vícios, sentimentos? 

Eu, daqui do meu ninho, não paro de pensar em tudo isso. Estou aproveitando para meditar mais, rezar mais, comer melhor.

Conversa franca com o filhote, que já está na água com limão em jejum e no suco verde. Somos responsáveis pelo agora. Criamos tudo isso, mas podemos recriar a cada ação, pensamento, emoção. É tudo nosso. E o que queremos mesmo? Estamos caminhando e sustentando esses bons desejos?

Nossa Terra 

A Terra nos dá tudo: é dela que vem alimento e saúde. Tratamos Ela como nos tratamos. Olha como estamos: pensamentos poluídos > ar poluído; emoções poluídas > água poluída; corpo poluído > terra poluída. Nos reergamos, com Ela, por Ela, por todos nós. Tenhamos força, confiança e coragem. Desejo para mim e pra ti. E como dizia nosso amigo cabeludo, companheiro da poderosa Maria Madalena, Jesus The Man: que a Paz seja convosco.

Sou Úrsula, mas pode me chamar de Ayá também. Vamos conversar aqui sobre a Terra, sobre conexões com ela, principalmente, as que brotam e nutrem nosso corpo e nossa alma: os alimentos.

Ayá é uma ave da Amazônia, um tipo de papagaio, na língua do povo Yawanawa. Ayá é também o nome Yawanawa que recebi de uma anciã da Aldeia Amparo, lá na Terra Indígena do Rio Gregório (AC). Além do pássaro, a palavra significa “tem”. Sou especialista em panificação e na produção de queijos vegetais, faço alimentação para retiros e vivências em aldeias e nas cidades.

Também atendo eventos que querem uma alimentação mais saudável, rica em nutrientes e good vibes. Nascida em Belém do Pará, uma das 21 cidades no mundo eleitas pela Unesco como Cidade Criativa da Gastronomia, preparos amazônicos em suas versões 100% vegetais também fazem parte da jornada culinária dessa papagaia que vos fala. 

Amo a culinária tradicional amazônica e vou defendê-la, porém sempre veganizá-la – para quem é das “veganidades” continuar se deliciando com a melhor comida do (meu) mundo (memória afetiva que chama, não é?).

Até breve.


Mais para o seu bem-estar



Úrsula Ferro é jornalista de formação e cozinheira de coração. Em 2018, decidiu deixar o jornalismo um pouquinho de lado para passar um mês entre aldeias acreanas, fazendo dietas espirituais e aprendendo sobre a culinária nativa. Quando voltou dessa jornada, começou a se dedicar exclusivamente à Ayá Comidas Veganas.