Você está aqui: Página Inicial / Copa 2018 / Copa da Rússia deverá encerrar formato atual, que já dura 20 anos

Reforma

Copa da Rússia deverá encerrar formato atual, que já dura 20 anos

Copa de 2022, que será disputada no Catar, começará em novembro e terminará em dezembro, pouco antes do Natal. A Fifa estuda ampliar para 48 o número de seleções participantes, em vez das atuais 32
por Felipe Mascari, da RBA publicado 08/07/2018 09h20
Copa de 2022, que será disputada no Catar, começará em novembro e terminará em dezembro, pouco antes do Natal. A Fifa estuda ampliar para 48 o número de seleções participantes, em vez das atuais 32
RFS/RU
Copa do Mundo Rússia

Fifa discute aumento de participantes já em 2022 e Copa de 2018 pode ser a última com 32 seleções na disputa

São Paulo – O atual modelo de disputa da Copa do Mundo de futebol, com 32 nações disputando o troféu durante os meses de junho e julho – período que corresponde ao verão no hemisfério norte –, pode ter vivido a sua última edição na Rússia. O Conselho da Fifa anunciou que irá discutir, em outubro, a ampliação para 48 seleções participantes, já para o torneio de 2022, no Catar. O número de equipes já está confirmado pela entidade para o Mundial de 2026, que terá três sedes – Estados Unidos, Canadá e México. 

Mas a entidade já definiu que a Copa do Catar não será disputada durante o meio do ano, como no padrão atual. O calor durante o verão no país do Oriente Médio fez com que a Fifa alterasse o calendário do torneio para o fim do ano: começará em 21 de novembro, com final prevista para 18 de dezembro.

O atual formato começou há exatos 20 anos, na França, na Copa de 1998. Para aquela edição do Mundial, a Fifa aumentou de 24 para 32 as seleções participantes. Com isso, a organização extinguiu o critério de "terceiros melhores colocados", para montar as chaves das oitavas de final e somente os dois melhores de cada um dois oito grupos passaram a avançar à fase seguinte, com jogos eliminatórios até a final.

Histórico

Com 88 anos de história e em sua 21ª edição, a Copa do Mundo já passou por diversas transformações desde sua criação. Em mais de oito décadas, o número de participantes cresceu 146% desde a primeira edição, em 1930, quando foi disputada no Uruguai.

Naquele ano, com 13 seleções participantes, as equipes eram distribuídas em três grupos de três seleções e um grupo com quatro times. Os vencedores das chaves avançariam para as semifinais. Quem vencesse decidia o título.

Em 1934, na Itália, e 1938, na França, mais três equipes foram adicionadas e 16 disputaram o torneio. O Mundial não teve fase de grupos, mas jogos eliminatórios desde o começo. Os oito que se classificavam disputaram quartas de final também em mata-mata até a final.

A Copa do Mundo de 1950, no Brasil, teve mais uma mudança – um tanto inusitada para os tempos atuais. Novamente com 13 países participantes, o torneio foi dividido em dois grupos com quatro seleções, um com três equipes e um outro, de duas. Os vencedores de cada grupo formaram uma nova chave e jogaram todos contra todos. Sem uma partida final, o primeiro lugar entre as quatro equipes era o campeão.

De 1954, na Suíça, ao torneio sediado no México, em 1970, novamente 16 seleções disputavam o torneio, em quatro grupos de quatro times cada – os dois primeiros passavam à fase seguinte, as quartas de final, com jogos únicos até a decisão.

Nos torneios de 1974, na então Alemanha Ocidental, e de 1978, na Argentina, o mata-mata foi retirado. Ainda com 16 equipes e também com quatro chaves iniciais, os primeiros colocados se classificavam para outros dois grupos de quatro e os vencedores de cada um disputavam a fase final.

Em 1982, na Espanha, foi novamente ampliado o número de participantes, agora, para 24 nações – divididas em seis grupos de quatro. Os dois primeiros dos grupos iam à segunda fase, organizada com outras quatro chaves de três equipes. Depois, os vencedores disputavam jogos eliminatórios com semifinais e a final.

As Copas do México (1986), Itália (1990) e Estados Unidos (1994) foram as últimas antes dos padrões atuais. Ainda com 24 seleções, mantiveram as seis chaves iniciais. Os primeiros e segundos colocados, com os quatro melhores terceiros, avançaram para os jogos eliminatórios: oitavas de final, quartas, semifinais e a final.

O formato de 2026

O novo formato do Mundial, com 48 equipes, não vai alterar o número de 12 estádios, nem a duração de 32 dias do torneio, muito menos o número de jogos dos finalistas – atualmente sete. 

Os países serão divididas em 16 grupos de três times. Segundo o planejamento da Fifa, os dois melhores de cada chave avançam ao mata-mata. Os 32 então viram 16. E vão se enfrentando em oitavas de final, quartas, semi e final.

Para 2026, a América do Sul deverá haver seis vagas diretas, com mais uma na repescagem. O mesmo sedará com as seleções organizadas pela Concacaf, da América do Norte e América Central. A Europa terá 16 vagas diretas e a África, nove, com mais uma repescagem. Já a Ásia terá oito vagas diretas e uma repescagem, enquanto a Oceania terá só uma vaga direta.