Pega na mentira

Regina Duarte é condenada por mentir sobre Marisa Letícia, ex-mulher de Lula

Ex-secretária nacional de Cultura do governo Bolsonaro terá de se retratar por “fake news” feita no Instagram ligada à mulher de Lula

Isac Nóbrega/PR
Regina Duarte terá de se retratar ou irá pagar multa de até R$ 50 mil

São Paulo – A atriz Regina Duarte, ex-secretária de Cultura do governo Bolsonaro, foi condenada por mentir a respeito de Marisa Letícia Lula da Silva, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que morreu em 2017. Ela terá de se retratar publicamente e, caso não o faça, estará sujeita a multa que pode chegar a R$ 50 mil.

A decisão, segundo o blog de Ancelmo Gois, do jornal O Globo, foi do juiz Manuel Eduardo Pedroso Barros, da 12ª Vara Cível de Brasília, divulgada nesta segunda-feira (26). De acordo com o magistrado, Regina Duarte “propalou fake news a respeito do patrimônio da falecida Marisa Letícia”. Desta forma, a bolsonarista terá de “publicar, em sua conta no Instagram ou, na hipótese de a conta estar cancelada, em meio virtual similar, a integralidade da presente sentença, com sinceros pedidos de desculpa à memória da falecida”.

“Erro” de juiz

A postagem mentirosa referia-se a um montante que Marisa Letícia teria investido no mercado financeiro. Citava R$ 256 milhões quando, na verdade, eram cerca de R$ 26 mil. A fake news foi resultado de um “erro” do juiz Carlos Henrique André Lisbôa, da 1ª Vara da Família e das Sucessões de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Dias depois, ele voltou atrás e reconheceu que o valor do inventário estava incorreto. Antes mesmo do esclarecimento, porém, grupos e influenciadores bolsonaristas nas redes sociais fizeram alarde com a informação falsa. Entre eles, Carlos e Eduardo Bolsonaro, filhos do presidente da República.

Regina Duarte, que tem cerca de 2,3 milhões de seguidores no Instagram, publicou em 11 de abril de 2020 um “meme” alusivo à quantia falsamente declarada como sendo da mulher de Lula. Mesmo após o desmentido, ela não retirou a postagem, que hoje conta com engajamento de cerca de 130 mil pessoas. No final de abril do ano passado ela foi processada pela família de Marisa Letícia. O processo ainda é passível de recurso.