Solidariedade

Metalúrgicos do ABC fazem ‘drive-thru’ neste sábado para arrecadar alimentos e produtos de limpeza

Doações serão feitas de dentro dos carros, no estacionamento do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em total segurança, e entregues a pessoas em situação emergencial

Adonis Guerra / SMABC
Em outras edições do Drive Thru Solidário, na sede e na regional de Diadema, metalúrgicos arrecadaram mais de 5 toneladas de alimentos

São Paulo – Os metalúrgicos do ABC estão em campanha de combate à fome e às graves consequências sociais da pandemia do coronavírus no Brasil. Neste sábado, os trabalhadores promovem mais uma edição do Drive Thru Solidário, na sede do sindicato da categoria, no centro de São Bernardo do Campo.

O objetivo é arrecadar alimentos não perecíveis e material de higiene e limpeza. Quem quiser participar, pode levar suas doações ao estacionamento da sede do Sindicato dos Metalúrgicos, das 9h às 17h. Trabalhadores da categoria e população em geral podem contribuir em total segurança, sem sair do carro. Os veículos entrarão pela rua José Bonifácio. As doações são retiradas em local coberto e a saída é feita pela rua João Lotto. Tudo o que for arrecadado será doado a pessoas em situação emergencial por meio de entidades assistenciais e movimentos sociais.

Bolsonaro é cínico ao declarar que não há fome no Brasil, diz ex-ministra 

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC está mobilizado desde o início da pandemia. Uma série de ações solidárias foi realizada em 2020, incluindo outras edições do Drive Thru na sede e na regional de Diadema. Foram arrecadados mais de 5 toneladas de alimentos. Diante do agravamento da pandemia, o sindicato decidiu intensificar as ações de arrecadação. No último mês criou também pontos para recolhimento de doações nas fábricas da base e parcerias para ampliar a atuação solidária. 

Milhões passando fome

“A fome é uma realidade no Brasil, e a situação piorou ainda mais com a pandemia e a total paralisia do governo. Muitos foram demitidos e muitos estão sem condições de trabalhar. Faltam ações de proteção à garantia do emprego e renda, um auxílio emergencial decente, linha de crédito para empresas, falta tudo”, afirma o presidente do sindicato, Wagner Santana. “Temos de continuar pressionando as instâncias governamentais e, em paralelo, nos unirmos em ações solidárias para dar ajuda urgente que cada vez mais gente vem precisando”, destaca Wagnão, convidando os metalúrgicos a fazer suas doações.

O sindicato destaca que mais da metade da população do país sofre com algum nível de insegurança alimentar. E 19 milhões de brasileiros passam fome. “A conclusão é do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19, divulgado no início de abril pela Rede Penssan (Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar)”, informa nota da entidade. “Os números foram coletados em dezembro de 2020 e hoje, com o agravamento da pandemia, é provável que a tragédia seja ainda maior.”

Número de pessoas com fome vai a 19 milhões, e insegurança alimentar dispara no Brasil

Por isso, reforça o secretário-geral do sindicato, Moisés Selerges, é tão importante e necessária a mobilização de todos nessa campanha. “Não são só dados estatísticos que comprovam que a miséria, a fome e o desemprego estão crescendo. Temos visto isso por todo lado, nas ruas a cada dia vemos mais pessoas pedindo ajuda, sem acesso à alimentação”, disse, lembrando que os metalúrgicos tem como marca a solidariedade. “Mais uma vez, é hora de agir”, acrescenta o diretor-executivo Carlos Caramelo, responsável pela organização da campanha.