CONTRA A FOME

Com a participação de Lula, metalúrgicos do ABC fazem ‘Drive Thru Solidário’

Presidente compareceu pela manhã em ação do sindicato que arrecadou doações de alimentos e produtos de higiene e limpeza como parte da campanha Na Luta Contra a Fome

Adonis Guerra
Campanha vai durar até o final do mês

São Paulo – Com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC realizou na manhã deste sábado (17) ação para arrecadar doações a serem entregues a famílias que estão passando por necessidades diante do agravamento da pandemia de covid-19. O chamado o Drive Thru Solidário foi realizado entre as 9h e 17h, mas a campanha Na Luta Contra a Fome começou antes com arrecadações nos locais de trabalho e vai seguir o mês todo.

Conforme os carros chegavam no estacionamento do sindicato, em uma corrente de solidariedade os trabalhadores iam retirando e repassando um a um, caixa por caixa, as doações retiradas dos porta-malas dos veículos, que iam se enfileirando. Todos de máscara, buscando manter distância segura mínima entre eles. “Olha o distanciamento, pessoal!”, repetiam os organizadores, sempre prontamente atendidos.

Falta governo

Um dos carros na fila trazia o ex-presidente. Quando chegou a vez, por volta das 11h, ele saltou do carro sob aplausos ao lado da companheira, Janja. Ambos também devidamente mascarados. Não houve aglomeração em torno de Lula, apenas algumas poses para fotos. Ele ouviu alguns de seus companheiros falarem sob o Drive Thru Solidário e, após cerca de cinco minutos, deixou o local, novamente sob aplausos. Levou cinco cestas básicas para a campanha.

Adonis Guerra
Lula em meio a diretores do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo: solidariedade em tempos difíceis (Adonis Guerra/SMABC)

“A fome não é um fenômeno da natureza. Não tem explicação, em um país como esse, alguém estar passando fome. No mesmo momento em que eu me sinto alegre por contribuir, me sinto triste por saber que um país com o tamanho do Brasil. Com a capacidade produtiva que tem, com o conhecimento tecnológico que tem, não precisava passar necessidade. Falta governo. É lamentável”, foram as poucas palavras que disse, em tom de voz bem baixo.

Tradição em ajudar

No ano passado, os metalúrgicos do ABC já haviam feito uma campanha semelhante. “Nossa categoria tem tradição de luta e também de solidariedade. Estamos enfrentando uma das piores crises, a covid-19, que já tirou a vida de mais de 360 mil brasileiros, uma grave crise econômica, além da falta de políticas públicas que garantam aos mais vulneráveis o mínimo para sobreviver”, disse, um dia antes, o diretor administrativo do sindicato do ABC, Wellington Messias Damasceno.

Na sexta-feira (16), véspera do Drive Thru Solidário, foram recolhidas doações nas fábricas da Volks, Mercedes, Trefilação União, entre outros locais. Nas semanas anteriores, trabalhadores da GL, em Diadema, também arrecadaram alimentos e produtos de higiene para a campanha.

Esculturas solidárias

Lula “participa” também de outra ação, mesmo que indiretamente. O artista Edgard Duvivier produziu esculturas de 25 centímetros de altura de personalidades políticas, como a do ex-presidente brasileiro e de seu companheiro uruguaio José “Pepe” Mujica. Cada uma custa R$ 1,5 mil, e parte do valor arrecadado será encaminhado para os programas sociais do Instituto Lula. Ele já recebeu a dele.

Ricardo Stuckert
Lula e sua estatueta: arrecadação para programas sociais (Ricardo Stuckert)