Vergonha

Oxfam considera valor do auxílio uma ‘afronta’. Rio de Paz organiza ato diante de hospital

Situação é de desespero e presidente se mostra aquém do cargo que ocupa, afirma organização

Severino Silva/Rio de Paz
ONG organiza ato em memória das vítimas e repúdio pela condução da crise

São Paulo – O auxílio emergencial de R$ 250 “é uma afronta a milhões de cidadãos e cidadãs do nosso país”, diz a Oxfam Brasil, em nota. “O abismo social e econômico que marca a desigualdade extrema do Brasil aumentará exponencialmente se nada for feito”, acrescenta a organização. Para a ONG, além de viver seu pior momento na pandemia, o país vive um sentimento geral de “desespero”. São 300 mil mortes em consequência da covid, mais de 12 milhões de contaminados e apenas 6% de vacinados. “Os hospitais estão entrando em colapso devido à alta demanda por leitos de UTIs, a falta de insumos básicos como oxigênio e de profissionais especializados no tratamento intensivo. Além disso, os profissionais da área de saúde estão vivenciando a exaustão física e emocional.”

Além disso, a pandemia fora de controle deteriora a situação econômica e social do país, acrescenta a Oxfam. “Para além da taxa de desemprego na casa dos 14 milhões, da falta de proteção social a mais de 40 milhões de trabalhadores informais e que precisam ir às ruas para trabalhar e garantir a comida para suas famílias, ainda temos a crise financeira das pequenas e médias empresas.  E o aumento de preços de alimentos básicos, do gás de cozinha e outros itens de primeira necessidade.”

:: Auxílio emergencial compra meio bife, meio copo de leite, três colheres de arroz

Assim, para a entidade, reverter esse cenário “exige uma liderança que tenha compromisso com o interesse público”. A Oxfam considera ainda o pronunciamento do presidente, ontem (22), “insuficiente e aquém do posto que ocupa”. “O fato é que o Brasil vive sua maior crise de forma desgovernada, sem planejamento e estratégia definidos”, diz ainda a ONG. “Mais do que nunca é importante que o conjunto da sociedade brasileira busque alinhamento e atuação conjunta com a ciência, e fundada na justiça social e na solidariedade.”

Repúdio e memória

A organização Rio de Paz está realizando na tarde desta quarta-feira (24) um manifestação diante do Hospital Ronaldo Gazzola, no bairro de Acari, zona norte da capital. A entidade lembra que o hospital é referência no tratamento da covid-19 no Rio. Trinta macas estão sendo colocadas no local, com travesseiros a rosas. Além disso, voluntários, caracterizados de profissionais da saúde, vão segurar placas com a palavra “vergonha” em português, inglês, espanhol e francês.

“É um protesto em memória à vida dos que se foram e em repúdio a como o governo federal vem tratando a pandemia desde o início dela, há um ano” diz o presidente da ONG, Antônio Carlos Costa. “O mundo assiste em estado de perplexidade e medo ao que ocorre no nosso país”, acrescentou.


Leia também


Últimas notícias