Solidariedade

Movimento da população de rua pede apoio para manter refeições gratuitas

Movimento da população de rua diz que não tem verba para garantir refeições até março. Alimentação é distribuída na Quadra dos Bancários

MEPR
Ação começou com a distribuição de mil refeições diárias. Hoje são mais de duas mil

São Paulo – O Movimento Estadual da População de Rua de São Paulo está pedindo ajuda para manter a oferta de cerca 2,2 mil refeições diárias gratuitas, servidas todos os dias na quadra do Sindicato dos Bancários, no centro de São Paulo. Segundo Robson Mendonça, um dos coordenadores do movimento, devido ao aumento do número de pessoas na extrema pobreza, o grupo não tem condições de manter as refeições até março, quando a distribuição de alimentação pelo governo do prefeito Bruno Covas (PSDB) deve ser normalizada. São aceitas doações em dinheiro ou alimentos, que podem ser entregues na Quadra dos Bancários.

“Houve uma diminuição das refeições que a prefeitura oferece à população de rua e aumentou muito a demanda. Mas nós não temos condições de suprir toda essa demanda de pessoas em busca de alimentos. Como o governo (Covas) diz que vai normalizar tudo a partir do mês que vem, nós estamos pedindo essa ajuda para garantir a alimentação, durante esse mês, a todos que vierem buscar. E assim não termos mais quase 200 pessoas saindo daqui com fome porque nós não tínhamos nada para dar para eles”, explicou Mendonça.


Leia mais


A parceria entre o Sindicato dos Bancários e o movimento da população de rua para distribuir refeições começou em agosto do ano passado, pois na ocasião o governo Covas cortou a distribuição de refeições em meio ao avanço da pandemia do novo coronavírus. No início eram distribuídas mil marmitas por dia. No entanto, com a piora na crise econômica, o agravamento da pandemia e o aumento no desemprego, o número de pessoas que buscam ajuda aumentou consideravelmente.

“O número de pessoas desabrigadas aqui no centro de São Paulo aumentou muito nos últimos meses. Por isso, buscamos ajuda junto ao Sindicato para que aqui se tornasse mais um ponto de distribuição de alimentos, por ser próximo à Praça da Sé. Há muitos moradores em situação de rua nesta região, mas está aparecendo também quem tem residência fixa, mas não tem o que comer por conta da crise e, sabendo que há distribuição de quentinhas, acabam vindo até aqui”, explicou Mendonça.

Doações em dinheiro podem ser feitas na Caixa Econômica Federal, em nome de Robson Cesar C. Mendonça:
Agência: 0249
Operação: 013
Conta Corrente: 00014969-8