Quase parando

Brasil cai 5 posições no ranking do IDH no primeiro ano do governo Bolsonaro

Principal fator da queda do Brasil é a falta de avanços na educação. O período médio de permanência das pessoas na escola ainda é de 15,4 anos, o mesmo de 2016, ano do golpe contra Dilma Rousseff

Agência Brasil
Brasil não conseguiu avançar em índices de educação no primeiro ano de governo Bolsonaro

Brasil de Fato – O Brasil caiu cinco posições no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas, divulgado nesta terça-feira (15). O país passou da 79ª para a 84ª posição, entre 189 países avaliados.

O cálculo se baseia em critérios relacionados à saúde, renda e escolaridade, com base em dados de 2019. Se os índices de desigualdade social forem acrescidos à fórmula, o Brasil perde 20 posições.

O país tem a segunda maior concentração de renda do mundo, atrás apenas do Qatar, conforme o relatório da ONU.

O IDH brasileiro teve evolução de 0,003 em relação a 2018 e chegou a 0,765, o que é considerado um crescimento lento. O principal fator da queda do Brasil é a falta de avanços na educação. O período médio de permanência das pessoas na escola ainda é 15,4 anos, o mesmo de 2016, ano do golpe contra Dilma Rousseff (PT).

O Brasil agora é o 6º entre os países da América do Sul, atrás de Chile, Argentina, Uruguai, Peru e Colômbia.

O país com o melhor IDH do mundo continua sendo a Noruega. Em segundo lugar estão Irlanda e Suíça.

Edição: Rogério Jordão


Leia também


Últimas notícias