São Paulo

Apesar da covid-19 seguir em alta, Covas anuncia maior abertura do comércio a partir de 6 de julho

Comitê de Contingência propôs esperar mais uma semana para adotar a fase 3 do Plano São Paulo na capital

reprodução
Covas acatou pedido do comitê de saúde e vai aguardar até o dia 6 para implementar a fase 3-amarela do Plano São Paulo

São Paulo – A capital paulista vai ampliar a abertura do comércio a partir de 6 de julho, passando para a fase 3-amarela do Plano São Paulo, que coordena a flexibilização da quarentena no estado, apesar do número de casos e mortes pela covid-19 continuar crescendo. O anúncio foi feito hoje (26) pelo governador paulista, João Doria, e o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, ambos do PSDB. Com isso, além dos shoppings, escritórios e comércio de rua, que já podiam abrir, bares, restaurantes e salões de beleza vão poder funcionar, com horário reduzido.

Ontem (25), a capital paulista registrava aumento de 21,5% nos novos casos na variação semanal e tinha 69,5% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) ocupados, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde. São 256.544 casos confirmados de covid-19, com 6.792 mortes confirmadas e 5.241 suspeitas. Estimativas da prefeitura indicam 1,16 milhão de pessoas já contaminadas pela doença.

Baseado nessas informações, o Comitê de Contingência do Coronavírus de São Paulo recomendou que Covas e as cidades da região metropolitana esperassem mais uma semana para adotar a fase 3-amarela na capital, para verificar se a situação realmente está consolidada. “As cidades atingiram patamares que permitem uma abertura maior. Mas nós emitimos uma nota técnica pedindo um tempo para ter certeza da consolidação desta situação”, disse o coordenador do comitê, Carlos Carvalho.

Apesar disso, também até ontem, os números indicam uma redução na taxa de crescimento de novos casos, novas mortes e novas internações – continua crescendo, mas em ritmo menor. Todas caíram abaixo de 1, indicando uma desaceleração das contaminações e da gravidade dos casos.

Além da capital paulista, duas sub-regiões da região metropolitana de São Paulo vão passar para a fase 3-amarela, com abertura de outros setores do comércio: Sudeste, que compreende o ABC paulista – Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra – e Sudoeste, formada pelas cidades de Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra e Vargem Grande Paulista.

Os shoppings, escritórios e outros comércios, que já podiam abrir de forma limitada, também poderão funcionar com 40% da capacidade, por seis horas diárias.

Flexibilização avança

Na próxima semana, a prefeitura vai receber os protocolos para abertura de bares, restaurantes e salões de beleza, que serão analisados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e pela Vigilância Sanitária. Pelo Plano São Paulo, além de protocolos de higiene e distanciamento, os estabelecimentos poderão funcionar com 40% da capacidade, durante seis horas seguidas. Bares e restaurantes só poderão oferecer consumo no local ao ar livre.

Na entrevista coletiva da manhã de hoje, Covas também anunciou o fechamento do Hospital Municipal de Campanha do Pacaembu, na próxima semana. O local tem 200 leitos, mas atualmente mantém 33 pessoas internadas. Desde sua abertura, foram realizadas 1.493 internações. Os equipamentos de UTI da unidade serão transferidos para os hospitais municipais de Cidade Tiradentes, São Miguel e Itaquera, todos na zona leste.

Edição: Fábio M. Michel


Leia também


Últimas notícias