Combate ao coronavírus

Com novo rodízio, só metade dos carros de São Paulo vai poder sair às ruas a cada dia

Nova regra usará final da placa para restringir circulação de automóveis na capital paulista. Ideia é ampliar a adesão ao isolamento social para combater a covid-19. Metade dos hospitais municipais está com 95% de ocupação

Oswaldo Corneti/Fotos Públicas
Rodízio de veículos em São Paulo ficou mais amplo, mas foi ineficiente. No entanto, acabar com a medida também não resolve o problema

São Paulo – O prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), anunciou nesta quinta-feria (7) que o rodízio de veículos em São Paulo passará a ser pelo final da placa – par ou ímpar –, com 24 horas de duração e válido em toda a cidade – não só no centro expandido.

O novo rodízio em São Paulo vai valer em todas as ruas da cidade e não apenas na região central. Em vez de dois finais de placa por dia, agora os carros com placa de número final par só vão poder circular nos dias pares. Nos dias ímpares, só circulam carros com placa de número final ímpar. Os carros com final zero são considerados final par.

Assim, a partir de zero hora da segunda-feira (11, ímpar), só vão poder circular os veículos com placa final 1, 3, 5, 7 e 9, durante 24 horas. Na terça-feira (dia 12, par), só podem circular os veículos com placa final 0, 2, 4, 6 e 8. E assim sucessivamente.

A medida busca ampliar a adesão da população ao isolamento social, que tem sido de 47%, em média, para reduzir a contaminação pela covid-19.

A cidade tem 4.300 mortes confirmadas ou suspeitas, 93.312 casos suspeitos e 23.807 confirmados. Metade dos hospitais municipais está com 95% de ocupação. “É uma medida necessária para que a gente evite ter de decretar lockdown na cidade”, disse o prefeito.


Site da CET traz perguntas e respostas sobre datas, a quem se aplica o rodízio e quem pode trafegar sem incorrer em infração (média, 4 pontos na carteira) e multa de R$ 130,16


Isenção para a saúde

Todos os profissionais da área da saúde serão isentos do rodízio e devem se cadastrar por email. “Vamos divulgar e enviar um comunicado por email a todos os prestadores de serviço, solicitando que eles nos enviem o cadastro de cada profissional. As pessoas devem enviar uma documentação simples e autodeclaratória com nome completo, CPF, nome do estabelecimento onde trabalha e a placa do seu veículo. Vamos dar um prazo de 10 dias para o cadastro, e nesse período as multas desses profissionais serão excluídas”, explicou o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram.

Quem já tinha isenção de rodízio, como motociclistas, policiais militares, prestadores de serviços da rede elétrica, gás e água, continuam fora da medida. A prefeitura informou também que vai acrescentar mil ônibus à rede municipal de transporte, a partir de segunda. Outros 600 veículos ficarão nos bolsões perto dos terminais de ônibus e serão adicionados conforme a necessidade.

O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, apontou que a situação da pandemia de coronavírus na capital paulista é alarmante e a medida de restrição é necessária.

Síndrome respiratória

“No ano passado nós tivemos entre 17 de março e o fim de abril 33 mortes na cidade por síndrome respiratória aguda grave. Em 2020, no mesmo período nós alcançamos quase 3.200 mortes. Para que vocês tenham noção da gravidade do momento em que estamos vivendo. Estamos num momento de disseminação da doença. Todos os distritos já registraram óbitos e dois (Sapopemba e Brasilândia) já ultrapassaram 100 óbitos. Em 50% dos nossos hospitais nós já temos uma ocupação acima de 95%”, explicou.



Leia também


Últimas notícias