Prevenção

Governo de São Paulo vai recomendar uso de máscaras em todo o estado

Taxa de isolamento na capital paulista foi de 48%, nesta quarta-feira (22), segundo o sistema de monitoramento do governo paulista

Prefeitura de Jundiaí
São Paulo é o estado com mais de infecções do novo coronavírus. Ao todo são 15.914 casos confirmados e 1.134 mortes por covid-19

São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), publicará nesta sexta-feira (24) decreto recomendando o uso de máscaras nos locais públicos em todos os municípios do estado.

“É importante que essa recomendação seja seguida pelas pessoas que, em caso de extrema necessidade, precisem sair das suas casas. Isso não retira a recordação de ficar em casa, para salvar vidas. Mas se você tiver que ir a um supermercado, a uma farmácia ou a algum estabelecimento essencial, vá de máscara”, pontuou Doria.

De acordo com boletim divulgado ontem (22) pelo Ministério da Saúde, São Paulo continua como o estado com mais de infecções pelo novo coronavírus. Ao todo, são 15.914 casos confirmados e 1.134 mortes decorrentes da covid-19.

Nesta quarta-fira (22), a taxa de isolamento na capital paulista foi de 48%, segundo o sistema de monitoramento do governo paulista. “Isso acende um sinal amarelo. Não podemos ficar abaixo dos 50%, como é recomendado pela medicina. Precisamos voltar à taxa acima de 50%”, disse Doria.

O estado de São Paulo está em quarentena desde 23 de março. A princípio, o isolamento social vai até 10 de maio, de acordo o governador paulista.

Reabertura do comércio

Doria confirmou ontem que está planejando a flexibilização da quarentena por conta da pandemia de coronavírus, mas os detalhes só serão apresentados em 8 de maio, dois dias antes do encerramento da terceira fase do isolamento social no estado.

As diretrizes da medida indicam que o processo será regionalizado, dependendo da evolução de casos e de mortes causadas pelo novo coronavírus em cada cidade e não vai incluir a reabertura de escolas e equipamentos públicos de lazer e esporte em um primeiro momento.

Em entrevista coletiva, hoje, governador afirmou que essa reabertura pode ser cancelada em cidades onde a taxa de isolamento social estiver abaixo dos 50%. “A orientação é pela ciência e medicina, então, se não tivermos uma taxa acima do mínimo, vamos rever a decisão prevista para o dia 10 de maio. Não poderemos flexibilizar se não estivermos dentro do índice mínimo”, afirmou.