caos anunciado

Impactos da ausência de ações da prefeitura de São Paulo para prevenir e combater alagamentos

Vídeos, fotos e denúncias enviados à RBA mostram a consequência das chuvas em aparelhos públicos

Paulo Pinto/Fotos Publicas
O orçamento paulistano de 2019 destinou R$ 300 milhões para combater enchentes e alagamentos, mas o governo Covas só aplicou R$ 50 milhões

São Paulo – A ausência de obras e ações da prefeitura de São Paulo para prevenção e combate a enchentes e alagamentos afetou drasticamente a vida das pessoas e o funcionamento da cidade. Vídeos, fotos e denúncias enviadas à RBA mostram o impacto na unidade da Vila Guilherme do serviço funerário, na zona norte; na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Theodomiro Dias, na Vila Sonia, zona oeste; no Ambulatório de Especialidades do Tucuruvi, zona norte; e na Unidade Básica de Saúde (UBS) Santo Amaro. Nos últimos três anos, a gestão dos tucanos João Doria e Bruno Covas não usou os recursos disponíveis no orçamento para minimizar ou evitar os efeitos das chuvas em São Paulo.

Confira:

  • EMEF Theodomiro Dias (Vila Sônia – Zona Sul)
  • Serviço Funerário da Vila Guilherme (Zona Norte)
  • Ambulatório de Especialidades (AE) Tucuruvi (Zona Norte)

Leia também

Últimas notícias