Home Cidadania Protesto alerta para gestão ‘aterrorizante’ da Fundação Casa de Rui Barbosa
Despreparo

Protesto alerta para gestão ‘aterrorizante’ da Fundação Casa de Rui Barbosa

Professora da UFRJ denuncia despreparo da nova presidente nomeada por Bolsonaro. "Inacreditável o que está acontecendo", diz cineasta Silvio Tendler
Publicado por Paulo Donizetti de Souza, da RBA
08:00
Compartilhar:   
Facebook/Midia Ninja

Presidente recém-nomeada da Fundação Casa de Rui Barbosa, é roteirista da Record e afilhada de Marco Feliciano

Rio de Janeiro – Pesquisadores e intelectuais realizaram nesta terça-feira (14), na capital fluminense, um protesto em defesa da Fundação Casa de Rui Barbosa. No início de janeiro, foram exonerados cinco dos principais pesquisadores e coordenadores de pesquisa da fundação. Os funcionários temem que as demissões sejam o primeiro passo do governo Bolsonaro para o desmonte do centro de pesquisa.

A Fundação Casa de Rui Barbosa é um dos mais importantes centros de pesquisa do Brasil, referência na preservação histórica e cultural do país e da cidade do Rio. As portas da casa, no bairro do Botafogo, zona sul, foram trancadas pela direção com objetivo de obstruir a manifestação, que acabou ocorrendo da rua.

“Um grupo especialíssimo de pesquisadores de excelência, reconhecidos mundialmente, foi exonerado. É uma casa importantíssima, um ‘oásis’ para o Rio e para o país, e não pode ser despedaçada da maneira como está”, afirma a atriz e professora Angela Rebelo.

A presidenta da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Eleonora Ziller Camenietzki, criticou o “despreparo” da atual direção da casa. “O que nos aterroriza é o absoluto despreparo que a pessoa nomeada pela Presidência da República, sobre questões mínimas, técnicas, do que é ser dirigente da Casa de Rui Barbosa. Intimidade zero com os livros, entendimento nenhum do que é preservação de acervo, o que é uma pesquisa científica com arquivos originais. Enfim, sobre o trabalho e o significado da casa.”

“É inacreditável o que está acontecendo”, diz o cineasta Silvio Tendler, um dos mais importantes documentaristas do país. “Eu não acreditava que isso pudesse se repetir, ouvir de novo essa sirene assustadora da polícia contra pensadores.”

Com a paralisação de serviços importantes, como o atendimento jurídico a refugiados e imigrantes, funcionários e usuários da Fundação Casa de Rui Barbosa participaram do protesto para denunciar a gestão da presidente recém-nomeada, Letícia Dornelles, que classificou a reação à demissão dos pesquisadores como “muito choro por coisas desnecessárias”. Os pesquisadores estudam acioná-la judicialmente por difamação. Letícia Dornelles é roteirista de novelas da TV Record e afilhada do pastor Marco Feliciano.

Acompanhe na reportagem de Viviane Nascimento par o Seu Jornal, da TVT.