ação social

Sindicato dos bancários lança projeto para mulheres vítimas de violência

Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região iniciará ação de apoio jurídico e psicossocial às vítimas de violência doméstica

SPBANCÁRIOS
No Brasil, a cada 4 minutos uma mulher é vítima de agressão. Em 2018, foram registrados mais de 145 mil casos de violência doméstica, seja ela física, sexual, psicológica, entre outras

São Paulo – A partir desta segunda-feira (9), o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região passará a prestar atendimento jurídico e psicossocial a mulheres vítimas de violência. O serviço será contínuo, e terá seu lançamento às 15h no Café dos Bancários, no térreo do edifício Martinelli, região central da capital paulista.

A cada quatro minutos, uma mulher sofre de alguma forma de violência no Brasil. Entre violência sexual, psicológica e outras formas, foram registrados 145 mil casos em 2018. O tema exige um tratamento delicado e atencioso às vítimas que, muitas vezes, se veem intimidadas, coagidas ou desencorajadas a procurar ajuda. “A violência contra as mulheres ainda é uma triste realidade no país. Reverter esse índice é um compromisso que a sociedade precisa ter todos os dias, com a prevenção e a mobilização, com investimento em educação e na criação de canais para o acolhimento e denúncia”, afirma a presidente do sindicato, Ivone Silva.

A ideia é criar um ambiente que traga segurança e conforto para que a vítima exponha seu problema e tenha saídas, formas de luta, contra a violência doméstica. “Criamos redes integradas de apoio para garantir a essas mulheres agredidas um acompanhamento jurídico, com condições de denunciar e se manterem protegidas. Todas as questões que afetam a qualidade de vida dos bancários e de seus familiares são tratadas como prioridade pelo sindicato”, completa Ivone. “Nesse esforço conjunto, pais, irmãos, maridos, filhos, líderes comunitários e toda a sociedade têm papel essencial nessa luta pelo fim da violência.”

A ação

No Brasil, a cada quatro minutos uma mulher é vítima de agressão. Em 2018, foram registrados mais de 145 mil casos de violência doméstica, seja física, sexual ou psicológica, entre outras. Os dados são do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde.

O projeto oferecerá atendimento jurídico especializado em violência doméstica e de gênero e atuará em parceria com a Rede Municipal de Enfrentamento à Violência Doméstica, atendendo as demandas jurídicas que não podem ser absorvidas pela Defensoria Pública.

Para agendar o atendimento, a vítima deve entrar em contato, via Central de Atendimento, das 9h às 18h, de segunda a sexta, ou ir diretamente à sede (Rua São Bento, 413, Centro). Os atendimentos serão realizados somente com agendamento prévio.

Com informações do Sindicato dos Bancários de São Paulo