Extremista

Empresário filiado ao PSL é procurado por atentado ao Porta dos Fundos

De perfil violento, suspeito do ataque com bomba caseira aparece em mais de 15 registro policiais como autor. Em 2013 foi preso por atacar membro do governo fluminense

Reprodução
Eduardo Cerquise (detalhe) tem mais de 15 registros policiais, a maioria deles como agressor

São Paulo – Filiado ao Partido Social Liberal (PSL), o empresário e militante de extrema direita Eduardo Fauzi Richard Cerquise está sendo procurado pela polícia do Rio de Janeiro. Considerado foragido, ele é suspeito de ser um dos cinco participantes do atentado a bomba de fabricação caseira à sede da produtora do Porta dos Fundos, no último dia 24.

Segundo a revista Exame,  Fauzi tem mais de 15 registros criminais, dos quais 12 como autor. São ocorrências como acusações de lesão corporação, ameaça, coação no curso do processo, agressão configurada na Lei Maria da Penha, desacato e exercício ilegal da profissão.

Presidente da Frente Integralista Brasileira (FIB) no Rio de Janeiro, o suspeito escapou de operação policial realizada na manhã de hoje (31) na Barra da Tijuca e endereços na zona norte e no centro, na qual foram apreendidos R$ 199 mil, computador, uma falsa arma de fogo e munições. Ele foi identificado por câmeras de segurança.

Em 2015 foi preso por agredir o secretário de Ordem Pública do Rio Alex Costa, após operação de fechamento de estacionamento irregular na região central.

Porta dos Fundos faz Especial de Natal desde 2013 sem reação violenta. O que mudou?