Home Cidadania Intolerância e ódio moveram ataque a restaurante Al Janiah, referência para refugiados
Contexto da nova era

Intolerância e ódio moveram ataque a restaurante Al Janiah, referência para refugiados

Referência cultural e gastronômica da comunidade de imigrantes palestinos, sírios e árabes em São Paulo foi alvo de criminosos na madrugada de domingo
Publicado por Clara Assunção
12:25
Compartilhar:   
TVT/Reprodução

Bar e restaurante, Al Janiah é centro de debate e espaço cultural de pautas ligadas ao direitos humanos e à democracia

São Paulo – O  bar, restaurante e centro cultural Al Janiah, localizado no bairro do Bixiga, na capital de São Paulo, sofreu um ataque na madrugada de domingo (1º). A ação dos criminosos foi flagrada por uma câmera de segurança.  No vídeo, publicado nas redes sociais, ao menos cinco pessoas aparecem arremessando garrafas para dentro do estabelecimento.

Ninguém ficou ferido, de acordo com a direção restaurante que, em nota oficial divulgada após a repercussão do caso, explicou que a equipe do local conseguiu conter o ataque. A direção já disse ter identificado os sujeitos como pertencentes a grupos da extrema-direita, que teriam se aproximado da porta principal portando armas brancas e sprays de pimenta, quando iniciaram o ataque atirando garrafas.

Referência cultural e gastronômica para a comunidade de refugiados e imigrantes palestinos, sírios e árabes da cidade, o Al Janiah é também local de eventos, debates e expressão artística de movimentos democráticos, ligado também à defesa de minorias e na luta pela libertação da Palestina. O que para a direção do espaço deve ter  motivado o grupo a realizar o ataque. “Não podemos nos calar diante da motivação desse ato, num contexto de crescente discurso de intolerância e ódio que acomete este pais”, diz a administração da casa.

Secretário-geral da Confederação Palestina da América Latina e Caribe (Coplan), Emir Mourad, concorda com a equipe do restaurante. Em entrevista ao jornalista Glauco Faria, da Rádio Brasil Atual, Mourad ressaltou que esse não é um caso isolado.

“Há tempos que existem grupos de caráter fascista, preconceituosos, homofóbicos, xenófobos e de todo o tipo de discriminação, atuando na sociedade. Isso ganhou impulso acredito, como a eleição do atual presidente (Jair Bolsonaro) que no discurso dele acaba legitimando esse tipo de ação que deve ser repudiada por todos”, avalia o secretário-geral que analisa esse tipo de perigo à democracia desde 2016. “Eles saíram do armário, se sentem representados socialmente”.

O Al Janiah disse que institucionalmente está tomando as devidas providências por meio de seus advogados. A Coplan também está em diálogo com outros grupos em apoio ao bar, restaurante e centro cultural, e já pediu para a presidência da Federação Árabe Palestina do Brasil (Fepal) que se manifeste em relação ao ataque criminoso.

Mas, apesar do ato, o Al Janiah segue com sua programação ao longo desta semana, a partir de terça-feira (3), com evento à partir das 18h. “Nos mantemos firmes na luta, tão necessária nesse contexto de ataque à democracia. Nossa resistência continua”, destaca.

Confira entrevista à Rádio Brasil Atual