Comunicação alternativa

Encontro debate o papel do jornalismo na desconstrução do senso comum

Evento em SP discute o modo como a cobertura da mídia comercial legitima preconceitos. Novas mídias são fundamentais para construir outros pontos de vista

VALTER CAMPANATO/EBC
Idealizadora do debate explica que a forma como a mídia atua impacta diretamente nos direitos humanos

São Paulo – O Instituto Vladimir Herzog e o seu projeto Usina de Valores promovem, nesta quarta-feira (22), o encontro “Jornalismo crítico e popular na desconstrução do senso comum”, que será realizado no Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (Cieja), no Campo Limpo, zona sul de São Paulo, a partir das 18h30. O intuito é debater uma nova lógica midiática que tem como centralidade o sujeito de direitos, em oposição ao senso comum que muitas vezes envolve preconceitos, discriminações e estigmas que são disseminados pelos veículos de comunicação hegemônica. “Isso impacta de forma muito decisiva na luta pela garantia de direitos humanos”, observa a jornalista, conselheira do IVH e integrante do coletivo Periferia em Movimento Aline Rodrigues, em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, na Rádio Brasil Atual.

Idealizadora do encontro desta quarta e também articuladora do projeto Usina de Valores, Aline destaca o processo de influência exercido pela mídia sobre os cidadãos, o que torna fundamental a construção de novas narrativas a partir do avanço das tecnologias de comunicação e da popularização da internet e de novas plataformas. “Se a gente tem uma mídia que não é aquele olhar de helicóptero, mas é cuidadosa com esse tempo de observar quem é o sujeito que se retrata, o dia a dia dele, a compreensão de sua vida para, a partir daí, relatar o fato que ele está envolvido, esse cuidado faz toda a diferença”, avalia.

O debate será realizado pela jornalista Lenne Ferreira, integrante do coletivo Afoitas de jornalismo independente de Pernambuco, e pelo também jornalista Pedro Borges, do coletivo de comunicação Alma Preta de São Paulo. A entrada é livre.

Endereço do evento:

Cieja Campo Limpo

Rua Estácio da Conceição, 176

Confira a entrevista na íntegra