Home Cidadania Gestão Covas reduz partidas de ônibus de linhas noturnas sem avisar usuários
contra o povo

Gestão Covas reduz partidas de ônibus de linhas noturnas sem avisar usuários

Prefeitura de São Paulo reduziu uma partida por hora em 23 linhas que ligam terminais e de nove para sete partidas por noite em 14 linhas que ligam terminais a bairros
Publicado por Rodrigo Gomes, da RBA
13:48
Compartilhar:   
Fábio H. Mendes/Folhapress
covas corta linhas de ônibus noturno

Gestão Covas não avisou a população da redução nas partidas da rede de ônibus noturno da capital paulista

São Paulo – Desde o início do ano, a gestão do prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), reduziu o número de ônibus que atendem 37 linhas noturnas de todas as regiões da cidade. Com isso, 23 linhas que ligam terminais – sistema estrutural – tiveram redução de uma partida por hora (de 17 para 13 partidas) e aumento no tempo de espera de 15 minutos para 20 minutos. Outras 14 linhas que ligam terminais aos bairros – sistema local – tiveram aumento no intervalo de saída de 30 minutos para 40 minutos, caindo de nove para sete partidas por noite As alterações não foram publicadas nos Informativos Operacionais nem no Jornal do Ônibus.

A região mais afetada é a zona norte (área 2, ônibus azul escuro), com redução do atendimento em 13 linhas. A região noroeste (área 1, ônibus verde claro) teve oito linhas afetadas. Nestas e nas regiões leste (área 4, ônibus vermelho), nordeste (área 3, ônibus amarelo) e sudeste (área 5, ônibus verde escuro), os cortes atingiram linhas estruturais e locais. Nas regiões sul (área 6, ônibus azul claro), sudeste (área 7, ônibus marrom) e oeste (área 8, ônibus laranja) o corte atingiu somente linhas estruturais, que ligam terminais.

A redução no número de partidas só é percebida no site da São Paulo Transporte (SPTrans), na área “planeje sua viagem”, escolhendo a opção “por linhas”. No caso de linhas que ligam terminais, nota-se que o total de partidas caiu de quatro por hora para três por hora. Já nas linhas locais a redução é mais sutil. Antes eram duas partidas por hora entre meia-noite e quatro da manhã. Agora há dois intervalos de horário com apenas uma partida.

covas corta linhas de ônibus noturnas

Em nota, a SPTrans confirmou as alterações. “A SPTrans informa que algumas linhas noturnas tiveram ajustes em suas programações horárias de viagens, em virtude da consolidação do número de passageiros transportados desde a sua implantação. Das 150 linhas do Noturno, somente 37 tiveram ajustes na sua programação. A rede noturna apresenta 98% no cumprimento e pontualidade das viagens programadas”, disse a empresa em nota.

Dentre as linhas afetadas pelo corte está a N601/11 Term. Grajaú – Term. Pq. Dom Pedro II, que segue pelo corredor norte-sul, passando por grandes avenidas como Senador Teotônio Vilela, Interlagos, Washington Luíz e 23 de Maio. Na zona leste, passaram mais tempo nos pontos os usuários da linha N503/11 Term. São Mateus – Term. Pq. Dom Pedro II, que segue pela Radial Leste e avenidas Álvaro Ramos e Sapopemba. Com o aumento no intervalo de partidas, os usuários que precisam esperar nas paradas do trajeto ficam mais expostos a riscos. Confira todas as linhas cortadas abaixo.

Desde 2017, sob gestão do ex-prefeito e atual governador paulista, João Doria (PSDB), a prefeitura vem realizando alterações no sistema de transporte que prejudicam a população. Primeiro, extinguiu 51 linhas de ônibus e reduziu atendimento em outras 29, sem diálogo com a população. O edital da nova licitação do transporte coletivo, lançado em outubro daquele ano indicou a extinção de 149 linhas de ônibus e alterações em outras 186. A licitação acabou vencida pelos mesmos atuais operadores do sistema, sem concorrência. E, em 1º de março, Covas reduziu a integração do Bilhete Único Vale-Transporte

A rede noturna foi criada em 2015, na gestão do ex-prefeito Fernando Haddad (PT). O sistema conta com 150 linhas, das quais 100 são locais e 50 estruturais. A gestão  já havia tentado aumentar os intervalos da rede noturna em 2017. Algumas linhas estruturais tiveram o intervalo aumentado para 30 minutos e os veículos de operação da rede foram substituídos por ônibus de tamanho menor.

linhas de ônibus cortadas