Home Cidadania Sétimo dia do crime da Vale em Brumadinho é marcado por manifestações
Responsabilização

Sétimo dia do crime da Vale em Brumadinho é marcado por manifestações

Protestos pelo país foram organizados pelo MAB. Em São Paulo, ato ecumênico foi celebrado na Catedral da Sé para prestar solidariedade às vítimas
Publicado por Redação RBA
Cidadania
Compartilhar:   
Guilherme Frodu Gandolfi/Levante Popular da Juventude
Ato vítimas Brumadinho

Até esta segunda (4), foram confirmadas 121 mortes e 205 desaparecimentos por crime da Vale em Brumadinho (MG)

São Paulo – Para marcar o sétimo dia após o crime da Vale, em Brumadinho (MG), e prestar solidariedade às vítimas, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) realizou atos por todo o país na última sexta-feira (1º). Na cidade de São Paulo, a manifestação ocorreu na escadaria da Catedral da Sé, na região central da capital paulista, onde foi feito um ato ecumênico com a presença de representantes religiosos evangélicos, muçulmanos, católicos, umbandistas e de candomblé.

Zeladora de um templo de umbanda, Maria Francisco Zaidan, que participou do ato para pedir justiça e paz aos atingidos pela tragédia – que, até esta segunda-feira (4) tem confirmados 121 mortos e 205 desaparecidos –, lamentou que o crime não tenha sido evitado pela mineradora Vale por interesses mercadológicos.

“O que aconteceu em Brumadinho foi um crime doloso (…) É um acidente que poderia ser evitado, mas a ganância do ser humano é maior que tudo e não tem essa decência de precaver para que isso não ocorra”, afirmou Maria Francisco à repórter Ana Rosa Carrara, da Rádio Brasil Atual.

Ouça a reportagem:

Você pode conferir a partir do ponto 1:35:09