Brumadinho

Segunda audiência entre MPs, atingidos e Vale termina sem acordo

Ministérios Públicos Federal e Estadual tentaram novamente uma conciliação para empresa se responsabilizar por rompimento de barragem

Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress
desastre brumadinho vale

Desastre na barragem de Brumadinho matou pessoas, animais, plantações e rio, mas Vale não aceita ajudar famílias

São Paulo – Terminou sem acordo a segunda audiência realizada pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual para tentar uma conciliação entre a Vale e os atingidos pelo rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais. As famílias pedem agilidade no apoio e na reparação pelo desastre. “Já estamos a 20 dias do desastre. Depois de um mês, ninguém mais vai ter dinheiro para comprar nada. Eu e vários outros agricultores perdemos tudo, não temos mais hortas”, disse a agricultora Renata Rodrigues, que perdeu a produção e amigos  e tenta contornar os traumas com os três filhos.

A proposta de conciliação é composta de 15 itens e pede a execução de medidas emergenciais para atender as vítimas e o meio ambiente. Entre elas, estão o apoio psicológico às vítimas e auxílio na busca e mudança de moradias.

“Não estamos falando em medidas de reparação definitiva. Apenas em ações emergenciais necessárias para os atingidos seguirem com suas vidas”, explicou o procurador da República Edmundo Antônio Dias. Nova audiência foi marcada para a próxima quarta-feira (20).

Confira a reportagem da TVT

Leia também

Últimas notícias