Home Cidadania Onda de violência no Ceará revela falta de política nacional de segurança
Novas medidas

Onda de violência no Ceará revela falta de política nacional de segurança

Sociólogo da Universidade Federal do Ceará critica também a política de encarceramento em massa promovida no Brasil
Publicado por Redação RBA
12:51
Compartilhar:   
Marcello Casal Jr/EBC
Presídios Ceará

César Barreiras contesta lógica de encarceramento em massa e diz que medida também é responsável por crise na segurança

São Paulo – A ausência de um pacto federativo relativo à questão da segurança pública tem alimentado a crise no setor que atravessa diversos estados brasileiros, mas sobretudo o Ceará, na análise do sociólogo César Barreira, coordenador do Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará (LEV-UFC).

O estado voltou a registrar ataques criminosos nesta semana dando continuidade à onda de violência que na segunda-feira (21) chegou ao seu vigésimo dia. De acordo com informações do portal G1, desde o início de janeiro foram registrados 218 ataques contra veículos, prédios públicos, prefeituras e estabelecimentos comerciais em 46 cidades.

“Enquanto a gente não atacar isso com uma política nacional de segurança pública, não vamos resolver esse problema”, avalia o coordenador em entrevista ao jornalista Glauco Faria, da Rádio Brasil Atual. “Nós teremos essa nacionalização (das facções). Bandido migra, os problemas migram também”.

Barreira atribui a atual crise a fatores como a disputa entre facções nacionais e locais presentes no Ceará, considerado uma importante rota para o tráfico de drogas internacional. Para o sociólogo, a lógica de encarceramento em massa acaba alimentando a situação.

“No Brasil se prende muito, mas se prende mal”, aponta. “Temos que trabalhar a educação, a formação e humanização no interior dos presídios.”

Ouça a entrevista na íntegra

Você poder conferir a partir de 1:28:14