Na luta por moradia

Ocupação do MTST conquista terrenos no Grande ABC para moradias populares

Quatro terrenos, nas cidades de São Bernardo, Diadema e Mauá, receberão conjuntos habitacionais. Movimento mostra preocupação com as futuras gestões de João Doria e Jair Bolsonaro

Taís Di Crisci/GICA TV
Ocupação Povo Sem Medo

Foram sete meses na luta por moradia na Ocupação Povo Sem Medo, que reuniu 8 mil famílias

São Paulo – Após sete meses de luta, serão construídas as primeiras moradias populares para as famílias que participaram da Ocupação Povo Sem Medo, em São Bernardo do Campo, na grande São Paulo. Organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o movimento conquistou uma área em São Bernardo do Campo e outros dois terrenos, em Mauá e um outro, em Diadema, todas cidades do chamado Grande ABC, na região metropolitana de São Paulo.

A Ocupação Povo Sem Medo ficou conhecida como uma das maiores da história do país por reunir 8 mil famílias na luta por moradia. Ao repórter Jô Miyagui, do Seu Jornal, da TVT, o integrante do setor de organização do MTST, Anderson Dalécio, explica que os conjuntos habitacionais precisarão ser construídos com apoio financeiro do governo estadual e federal.

Em São Bernardo do Campo, por exemplo, onde devem residir 1.200 famílias, segundo o movimento, parte dos recursos das moradias são dos programas Casa Paulista e Minha Casa, Minha Vida, iniciativa federal. A preocupação, no entanto, é com a mudança de gestão nas duas esferas e a continuidade das políticas habitacionais, com a entrada de João Dória (PSDB) no estado, e Jair Bolsonaro (PSL), na presidência da República.

“O MTST continuará na luta do mesmo jeito que foi no governo Lula, no governo Dilma e no golpe do desgoverno de Temer e vai continuar com o Bolsonaro”, ressalta Dalécio garantido resistência para o próximo ano.

Assista à reportagem do Seu Jornal