Luta e permanência

Festival no Rio celebra os direitos humanos e os 70 anos da declaração universal

Para marcar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, festival 'Todo Mundo Tem Direitos' trouxe o trabalho de diversas organizações e artistas para levantar a importância das garantias fundamentais

Marcelo Freixo/Twitter
Festival Todo Mundo Tem Direitos

Festival no centro do Rio de Janeiro prestou homenagem a vereadora Marielle Franco

São Paulo – Na semana em que se comemoram os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, entidades da sociedade civil, entre elas, a Anistia Internacional, Justiça Global e o Coletivo RJ Verdade, Memória e Justiça promoveram nesta segunda-feira (10) a segunda edição do festival “Todo Mundo Tem Direitos”, na Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro, evento para levantar a importância de preceitos fundamentais para a saúde, educação, moradia, liberdade e vida.

Durante o festival, a vereadora Marielle Franco, assassinada em março deste ano, foi homenageada pelo público e diversas organizações e coletivos puderam expor materiais de conscientização sobre os direitos fundamentais, uma forma de se opor também ao senso comum que tenta relativizar a declaração, segundo a defensora de direitos humanos, Alice de Marchi.

“Na verdade, a gente está vendo que grande parte da sociedade não sabe o que está falando quando se fala em direitos humanos, então, ver tanta gente em um evento como esse, interessados, querendo saber (…) isso mostra o quanto que, na verdade, as pessoas estão sim interessadas”, avalia Alice em entrevista à repórter Adriana Maria, do Seu Jornal, da TVT

Entre as atrações musicais, destaque para as apresentações de Tereza Cristina, Marina Íris, Ellen Oléria e Márcia Castro, além de Marcelo Jeneci, Pedro Luís e da banda Bnegão Trio. 

Assista à reportagem do Seu Jornal