Nas eleições

Denúncias de intolerância política na internet aumentam e chegam a 39 mil

Violência política online foi analisada por ONG Safernet Brasil e divulgada durante Comissão dos Direitos Humanos na Câmara

Arquivo EBC/Reprodução
Intolerância política internet

Comissão encaminhará à ONU relatório com casos de violência motivada por divergências políticas

São Paulo – Em audiência pública realizada nessa quarta-feira (28) pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, a ONG Safernet Brasil, que atua para que o ambiente online seja mais livre e seguro, apontou um aumento de crimes motivados por intolerância política durante a campanha eleitoral. Segundo a organização, de 16 de agosto a 28 de outubro, data do segundo turno, foram contabilizadas 39 mil denúncias de ataques de ódio, preconceito, discriminação, negação das diferenças e discursos violentos.

Os crimes na internet concentram-se em plataformas de relacionamento social como Facebook e WhastApp e, segundo os participantes da audiência pública, que contou com a presença de membros de órgãos da Justiça brasileira, demandam um esforço conjunto das instituições para impedir que violações de direitos humanos continuem acontecendo. Na comissão, foi elaborado um relatório que será encaminhado à Organização das Nações Unidas (ONU) e a Justiça será acionada para uma ação mais efetiva.

“Tem que ser possível o diálogo porque, se nós não o tivermos, nós teremos um retrocesso constitucional. O governo não vai poder rasgar a Constituição, os pactos internacionais de que o país é signatário. O Brasil não é uma ilha perdida no oceano, ele está também inserido na comunidade internacional”, adverte o presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB, Everaldo Bezerra Patriota.

Assista à reportagem do Seu Jornal