#Ninguémficapratrás

Campanha de apoio a vítimas de violência eleitoral conquista primeira meta

Valor será repassado e dividido por cinco projetos voltados ao acolhimento de LGBTQI e de mulheres vítimas do discurso de ódio. Objetivo é ampliar iniciativa a indígenas e refugiados

Marcello Casal Jr. EBC/Reproduçao
Apoio LGBTs

Meta foi alcançada em 15 dias de campanha e contou com a colaboração de mais de duas mil pessoas

São Paulo – A campanha online “ninguém fica pra trás” criada para financiar cinco projetos de atendimento a vítimas da violência e intolerância decorrentes do período eleitoral, alcançou, nesta segunda-feira (12), a primeira meta. Em 15 dias, foram arrecadados R$ 250 mil, financiados por mais de duas mil pessoas, que deverão ser divididos igualmente entre os projetos voltados ao acolhimento de pessoas LGBTQI e mulheres que tenham sido agredidas por apoiadores de políticos.

Os casos de violência contra estes grupos ganharam destaque durante as eleições e correspondem, em sua maioria, a agressões por parte de apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), conhecido pelas falas contrárias às minorias sociais.

“Se ele (Bolsonaro) continuar incitando esse discurso de ódio pelo menos para as populações vulneráveis, principalmente LGBTs, a gente vai ver, como temos visto, um aumento da violência”, afirma a advogada e uma das organizadoras da campanha, Marina Ganzarolli, ao repórter Jô Miyagui, do Seu Jornal, da TVT.

Com a primeira meta alcançada, a iniciativa buscará agora, em uma segunda fase, ajudar outras cinco entidades e que atuem também com a população indígena e de refugiados.

Para conhecer a campanha clique aqui

Assista à reportagem na íntegra: