Em São Paulo

Frente Povo Sem Medo reúne movimentos sociais em defesa da democracia

Ato “Ditadura nunca mais” ocorreu nesta quarta-feira (10) e milhares de pessoas caminharam em percurso iniciado na Avenida Paulista com término na Praça Roosevelt, centro da capital paulista

Frente Povo Sem Medo facebook/Reprodução
Frente Povo Sem Medo

Jornalista e integrante do Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo vê ato como a união e organização contra a intolerância

São Paulo – O ato “Ditadura nunca mais”, convocado pela Frente Povo Sem Medo, reuniu nesta quarta-feira (10), na Avenida Paulista, em São Paulo, milhares de manifestantes contra o avanço do fascismo, da violência e da cultura de ódio no país. A manifestação, que caminhou até a Praça Roosevelt, centro da capital, foi marcada pela diversidade de pessoas de diferentes idades, entre elas, as que viveram o período da ditadura civil-militar (1964-1985), até os mais jovens, nascidos após a democratização.

Em entrevista à repórter Ana Rosa Carrara, da Rádio Brasil Atual, a jornalista Rose Nogueira, integrante do Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo, que foi presa e torturada durante a ditadura, destacou o ato como uma demonstração da resistência e da luta das pessoas pela liberdade no país.

“Aqui, no mínimo, está se mostrando que a juventude não está quieta e também não quer ditadura, quer liberdade, porque pela liberdade quantos já deram a vida?”, questionou a jornalista. “Nós vamos continuar lutando por ela até o fim.”

A estudante Isadora, de 19 anos, ressaltou que há muitas pessoas que ainda não compreendem as ameaças contra a democracia, mas que não é preciso reviver a ditadura para saber sobre seus riscos. “Se você vive a democracia hoje em dia, a gente sabe o que não queremos perder.”

Ouça a íntegra da reportagem: