Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2018 / 08 / Perseu Abramo abre mês de debates sobre a ditadura e o legado de 1968

Reflexões

Perseu Abramo abre mês de debates sobre a ditadura e o legado de 1968

Evento busca associar a importância dos movimentos opositores ao governo militar e instauração do AI-5, num momento de efervescência política e cultural no Brasil e no mundo
por Redação RBA publicado 06/08/2018 10h53, última modificação 06/08/2018 12h27
Evento busca associar a importância dos movimentos opositores ao governo militar e instauração do AI-5, num momento de efervescência política e cultural no Brasil e no mundo
Memorial da Democracia
ditadura militar

Debate mostra como acontecimentos internacionais deram força ao movimento de resistência contra a ditadura

São Paulo – A Fundação Perseu Abramo promoverá neste mês o debate Os significados de 1968, que discute os acontecimentos emblemáticos daquele ano para o Brasil e o mundo. O evento será realizado durante todo o mês, sempre às 19h das terças-feiras, com transmissão ao vivo nas páginas da fundação no Facebook e YouTube.

O ciclo terá quatro grandes temas, com o objetivo de provocar reflexões sobre a efervescência política, artística e cultural que se manteve após durante a ditadura civil-militar, interrompida com a assinatura do Ato Institucional nº 5 (AI-5), em 13 de dezembro.

Nesta terça (7), o tema será "ventos libertários no mundo: a cena internacional",  contextualizando o cenário da década, com movimentos populares que ascendiam pelo mundo – como a insurreição estudantil, na França, e as marchas pelos direitos civis dos negros norte americanos. Estarão no debate o escritor Eric Nepomuceno e a filósofa e professora da Universidade de São Paulo (USP) Olgária Matos.

"Naquele ano, à luz dos acontecimentos internacionais, estudantes, professores, religiosos, artistas, operários, militantes e dirigentes de esquerda, organizaram a resistência contra o recrudescimento da ditadura, o avanço do conservadorismo e a modernização conservadora imposta pelo regime militar", afirma a fundação, que mostrará como os opositores foram fragilizados pelo AI-5.

No próximo dia 14, o tema será "O golpe de 1964". No dia 21, "A efervescência político-cultural, intelectual e comportamental dos anos 1960" e por último, no dia 28, "Resistência política, operária e estudantil". Todos com nomes dos respectivos debatedores ainda a serem confirmados.