Em São Paulo

Movimentos sociais fazem ato em memória dos assassinados no Massacre da Sé

Relembrando a morte de sete pessoas em situação de rua ocorrida em 2004, manifestantes cobraram também por políticas públicas para atender essa população

TVT/Reprodução
Massacre da Sé

Em audiência, movimentos discutiram a aprovação do PL 145/2018 que consolida a política municipal para essa população

São Paulo – Militantes de diversos movimentos sociais em defesa da população em situação de rua realizaram, nesta quinta-feira (23), um ato em memória dos sete moradores de rua assassinados em agosto de 2004, na Praça da Sé, região central de São Paulo. Ao longo destes 14 anos, os movimentos vêm cobrando por justiça e punição aos cinco policiais e um segurança acusados de execução do crime, conhecido como Massacre da Sé, mas que continuam soltos.

Em marcha, os manifestantes seguiram da Prefeitura da capital paulista até a Câmara Municipal para uma audiência pública, onde pautaram a permanência da violência contra os moradores em situação de rua e também exigiram por políticas públicas de moradia e trabalho para atender a essa população, como a aprovação do Projeto de Lei (PL) 145/2018 que tramita no legislativo e trata da consolidação a política municipal voltada para essa parcela.

“Moradia primeiro para população de rua com saúde, trabalho e principalmente, que seja resgatada a autoestima de uma maneira não violenta como é”, defende um dos representantes do Movimento Estadual da População em Situação de Rua (MEPSR-SP) Robson Mendonça.

Assista à reportagem de Michelle Gomes: