Home Cidadania Incêndio criminoso atinge assentamento do MST no Paraná
Violência no campo

Incêndio criminoso atinge assentamento do MST no Paraná

Pelo menos 30 hectares de área plantada já foram destruídos. De acordo com o movimento, esse é o segundo ano consecutivo em que as famílias sofrem ataques
Publicado por
11:37
Compartilhar:   
Coletivo de Comunicação do MST/Reprodução
Ataque assentamento MST

Produção de leite, iogurte, açúcar mascavo e melados orgânicos foi comprometida: 25 famílias vivem no local há 25 anos

São Paulo – Integrantes do assentamento Santa Maria, no Paraná, denunciaram nesta quarta-feira (1º) incêndio criminoso que aconteceu no domingo (29) e destruiu pelo menos 30 hectares de área de preservação permanente, atingindo plantação de cana, pastagem, árvores e a horta orgânica. Os assentados cobram das autoridades a investigação do crime e a punição dos responsáveis.

No local, vivem 25 famílias que produzem leite, iogurte, açúcar mascavo e melados orgânicos. Segundo os relatos feitos ao portal do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a vegetação seca ajudou o fogo a se alastrar rapidamente e alcançar a área plantada. No mês de julho, os produtores comemoravam 25 anos da conquista do assentamento.

Este é o segundo ano consecutivo em que o assentamento sofre com incêndios criminosos. No ano passado, a reserva legal foi atacada com pontos de incêndios iniciados em diversos locais diferentes e de forma simultânea. Em repúdio à violência, as famílias registraram um boletim de ocorrência. Até o momento, a polícia não encontrou os responsáveis. 

Na última semana, outra área de reforma agrária do MST, o acampamento Hugo Chávez, foi atacado e ameaçado por pistoleiros. Nesta quarta, as famílias que ocupam a fazenda Santa Tereza, em Marabá, no Pará, foram às ruas denunciar os fazendeiros Rafael e Osvaldo Saldanha, acusados de comandar os ataques. Os manifestantes também pediram a abertura de um processo contra policiais da Delegacia de Conflitos Agrários (Deca) que, segundo as famílias, estariam envolvidos.

* Com informações do MST