basta de machismo

Advogada feminista cria petição por punição a brasileiros que assediaram russa na Copa

Reconhecida pelo ativismo no país da Copa, jurista publicou abaixo-assinado que pode levar torcedores a responder processo pelas leis da Rússia

TVT/Reprodução
Petição machismo copa

Brasileiros que assediaram jovem durante a Copa, podem ser punidos na Rússia

São Paulo – A advogada feminista russa Alena Popova, lançou na internet um abaixo-assinado pedindo assinaturas para que os brasileiros que aparecem em um vídeo assediando sexualmente uma mulher russa, sejam punidos. O caso – exemplo de machismo, racismo e xenofobia – tem provocado uma onda de indignação tanto no Brasil como no exterior, desde que as imagens viralizaram na internet.

De acordo com a ativista, a petição online está embasada nas leis da Federação da Rússia, que preveem punição a quem agredir publicamente a honra e a dignidade de outra pessoa. No documento, pede-se aos brasileiros presentes no vídeo, que peçam desculpas publicamente à mulher vítima de seu comportamento machista e sexista e a todos os cidadãos russos por, insultos, e humilhação pública, além do desrespeito às normas vigentes no país. Após o recolhimento das assinaturas, a petição será encaminhada ao Ministério do Interior e à Embaixada do Brasil na Rússia.

Por enquanto, os quatros homens que praticaram a ofensa sob o pretexto de ensinarem um canto de torcida a uma cidadã russa, que sem entender nada, repetiu as palavras que remetem ao órgão sexual feminino, já sofrem as primeiras punições.

Felipe Wilson, um dos quatro identificados, foi demitido da empresa Latam, onde trabalhava, no Aeroporto de Guarulhos. Já o advogado e ex-secretário de Turismo de Ipojuca, região metropolitana de Recife, Diego Valença Jatobá, teve o comportamento repudiado em nota pela Ordem dos Advogados no Brasil (OAB-PE). O policial militar, Eduardo Nunes Tenente, que trabalha na cidade de Lages, em Santa Catarina responderá processo administrativo, segundo informou a corporação naquele estado. Um dos envolvidos, o engenheiro civil Luciano Gil Mendes, já foi preso pela Polícia Federal, acusado de desvio de dinheiro público.

Assista a matéria completa feita pelo Seu Jornal da TVT: