Povo sem medo

MTST se mobiliza e obtém compromissos do novo governador de São Paulo

Na capital, grupo exige mais recursos do governador Márcio França para habitação. Em Guarulhos, luta é pela aprovação de projeto que beneficiará duas ocupações

Reprodução/Facebook
Marcha MTST

Na luta por moradia, movimento faz ações simultâneas na capital paulista e na região metropolitana

São Paulo – Após realizar nesta quinta-feira (19) uma marcha que levou cerca de 10 mil manifestantes para a frente do Palácio dos Bandeirantes, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) conseguiu obter do atual governador Márcio França (PSB), alguns compromissos com a demanda da moradia. Segundo o movimento, o governo do estado de São Paulo se comprometeu em repassar áreas da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) para a construção de futuras moradias do MTST, e afirmou que manterá as verbas do Casa Paulista — programa que financia imóveis para famílias com renda bruta mensal de até R$ 5.400.

Conforme anunciou o coordenador do MTST Josué Rocha, recebido junto com uma comissão pelos secretários estaduais do Planejamento, Casa Civil e Habitação de São Paulo, o governo paulista ainda se comprometeu em integrar um grupo de trabalho com o MTST para elaborar um novo projeto habitacional do estado de São Paulo. A expectativa é que a primeira reunião ocorra nos próximos 15 dias.

“Só foi possível subir para o encontro graças a presença de cada um e cada uma de vocês. Quando a gente faz uma marcha, uma manifestação, lá no início, a gente não tem certeza do resultado. Mas tem a esperança que traga resultados pra luta. E, agora depois da reunião, dá pra dizer que os resultados foram muito positivos“, afirmou Josué Rocha para os militantes do movimento. “Os secretários que nos receberam garantiram que o Márcio França vai manter todos os compromissos assumidos pelo governo até aqui.”

Ainda na quinta-feira (19), o movimento realizou outra marcha, desta vez em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, quando partiu da Praça IV Centenário até a Praça Getúlio Vargas, em frente à Câmara Municipal, e ali instalou a “Ocupação da Resistência”.

A Câmara de Guarulhos está discutindo o projeto de lei que mudará o zoneamento das áreas que contemplam as ocupações Hugo Chávez e Povo Sem Medo. Segundo o MTST, a “Ocupação da Resistência” permanecerá em frente à Câmara enquanto a lei não for aprovada.

Leia também

Últimas notícias