Home Cidadania Mulheres jornalistas lançam campanha contra assédio na mídia esportiva
#DeixaElaTrabalhar

Mulheres jornalistas lançam campanha contra assédio na mídia esportiva

Movimento surgiu após casos de assédio contra repórter do Esporte Interativo, Bruna Dealtry, e Renata de Medeiros, da Rádio Gaúcha
Publicado por Redação RBA
11:48
Compartilhar:   
REPRODUÇÃO
deixa ela trabalhar.jpg

‘Só queremos trabalhar em paz. O esporte também é um lugar nosso’, diz o manifesto do movimento

São Paulo – Jornalistas lançaram neste domingo (25) o manifesto “Deixa Ela Trabalhar”. O movimento representa as mulheres da mídia esportiva e tem como objetivo lutar contra o assédio moral e sexual sofrido por elas nos estádios, nas ruas e redações.

A campanha surgiu após mais um caso de assédio, dessa vez, com a repórter do Esporte Interativo Bruna Dealtry que foi beijada ao vivo enquanto trabalhava. Dias antes, a vítima foi a Renata de Medeiros, da Rádio Gaúcha. Ela foi ofendida e agredida no estádio Beira-Rio por um torcedor.

“Só queremos trabalhar em paz. O esporte também é um lugar nosso. Respeite nossa voz e nossas escolhas”, dizem as jornalistas, em vídeo publicado ontem.

Em entrevista ao El País, Bibiana Bolson, jornalista da ESPN e uma das participantes da campanha, explica que o objetivo é chamar a atenção para as agressões que as profissionais sofrem. “A ideia é dar uma resposta aos assédios e às situações recentes da Bruna e da Renata, que é também um pouco a história de todas nós, que já fomos assediadas nas redações, nos estádios e sofremos violência nas redes sociais”, relata.

Bibiana também afirma que a campanha inclui também mulheres jornalistas fora das editorias de esporte. “É feita por jornalistas esportivas, mas queremos dar voz para mulheres de todas as esferas. É uma maneira de incentivar as mulheres a relatarem os abusos que sofrem, a buscarem seus espaços”, diz, também ao El País. O vídeo é encerrado com mais um recado, o de que o silêncio diante de casos de assédio é parte de um mesmo problema. “A omissão também machuca.”

Clubes Atlético-MG, Atlético-GO, Bahia, Botafogo, Chapecoense, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Fortaleza, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Paysandu, Santa Cruz, Santos, São Paulo, Sport e Vitória declararam adesão ao movimento e publicaram mensagens de apoio.

Assista: