São Paulo

Desfile-protesto de catadores chama a atenção para a importância da reciclagem

Bloco protestou no Largo da Batata contra a suspensão de um convênio estabelecido com a prefeitura de SP que garantia um caminhão de coleta para cada cooperativa

Reprodução
Desfile de catadores

Iniciativa teve como objetivo despertar a consciência sobre a importância do trabalho das cooperativas de catadores

São Paulo – Nesta terça-feira (13) o Bloco da Reciclagem protestou no Largo da Batata contra a suspensão de um convênio estabelecido com a prefeitura de São Paulo que garantia um caminhão de coleta para cada cooperativa de catadores. A tarefa de limpeza passou a ser feita com exclusividade pelas concessionárias, inclusive a coleta de material reciclado.

“O diálogo com a prefeitura está bem difícil”, conta Valquíria Cândido da Silva, da Coordenação Nacional dos Movimentos de Catadores, em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, na Rádio Brasil Atual. “O trabalho que a concessionária faz é mecânico, coleta tudo que está no chão e aí vão rejeitos, comida… As cooperativas que deveriam fazer o trabalho de coleta de recicláveis”, pontua.

A iniciativa também teve como objetivo despertar a consciência sobre a importância do trabalho das cooperativas de catadores. “A gente queria chamar a atenção não apenas do poder público, mas de todos os munícipes para que nos apoiem na questão da reciclagem. Está faltando muita educação ambiental e todos devem fazer parte desse processo.”

Um dos problemas do trabalho feito pelas concessionárias, segundo Valquíria, é que, não sendo feita a separação de resíduos, muitos materiais que poderiam ser reciclados são desperdiçados. “Tinha muito material reciclável no meio da multidão, mas não tinham lixeiras para colocarem os resíduos”, conta ela, lembrando que garrafas de vidro quebradas traziam perigo para as pessoas que estavam no local.

De acordo com a Rádio Agência Nacional, a assessoria de imprensa da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) confirmou que a prefeitura não fornece mais caminhões às cooperativas  porque o contrato acabou e ainda não foi concluída uma nova licitação. Desde 9 de janeiro, a coleta de material reciclável está a cargo das duas concessionárias contratadas pela prefeitura.

Com informações da Rádio Agência Nacional