Home Cidadania País ainda carece de serviços básicos, mas quase todos têm TV
Infraestrutura deficiente

País ainda carece de serviços básicos, mas quase todos têm TV

Só dois terços dos domicílios têm rede de esgoto e uma parcela da população não dispõe de água diariamente
Publicado por Redação RBA
13:10
Compartilhar:   
Divulgação/Secretaria Municipal de Ambiente e Agronegócios de Seropédica
dados da pnad

Muitos domicílios ainda não estão conectados à rede de esgoto. Os que tinham desse serviço eram 65,9% do total

São Paulo – O Brasil contava 69,2 milhões de domicílios em 2016, sendo 86% casas e 14% apartamentos, proporção que sobe para 18,5% no Sudeste e para 14,8% no Sul, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE. Muitos ainda não estão conectados à rede de esgoto (ou com fossa ligada à rede), um serviço básico. Os que dispunham desse serviço eram 65,9% do total, ou 45,6 milhões de domicílios, caindo para 54,9% no Centro-Oeste, 44,3% no Nordeste e 18,9% na região Norte, onde 68,1% tinham fossas não ligadas à rede. 

Embora 97,2% tenham água canalizada, só 87,3% tinham disponibilidade diária de água da rede, percentual que cai para 66,6% no Nordeste e sobe para 98,1% na região Sul. Em 7%, o abastecimento era por meio de poço profundo ou artesiano – 20,3% na região Norte e 8,6% no Nordeste. 

Em relação à coleta de lixo, 82,6% dispõem desse serviço, índice que sobe para 91,3% no Sudeste, 87,7% no Sul e 87,4% no Centro-Oeste, caindo para 70,2% no Norte e 67,5% no Nordeste, região onde o lixo é queimado em 17% dos casos e vai para caçambas em 12,8% – esses percentuais aumentam para 18,5% e 9,2%, respectivamente, na região Norte.

O uso de eletrodomésticos alcança quase todos os domicílios brasileiros. Havia televisão em 97,4% e geladeira em 98,1%. A presença de máquina de lavar roupa chegava a 63%, variando de 33,5% (Nordeste) a 83,3% (Sul). Quase metade tem carro (47,4%) e microcomputador (46,2%), enquanto 21,8% possuem motocicleta.

A presença de carro sobe expressivamente na região Sudeste: 66,9% dos domicílios. E a de motos cresce bastante no Norte (31,7%) e no Nordeste (29,5%).

Segundo o IBGE, em 92,3% dos domicílios pelo menos um morador possuía telefone celular. Já o telefone fixo, até alguns anos atrás predominante nas casas, caiu para 34,5%. Em quase dois terços (63,6%) havia acesso à internet , e em 60,3% via celular – no Sudeste, 71,7% e 67,7%, respectivamente.

A maioria dos domicílios (68,2%) era próprio e já pago, enquanto outros 5,9% eram próprios e ainda estavam sendo pagos. Alugados representavam 17,5% e cedidos, 8,2%. A participação do aluguel subia para 21,6% no Centro-Oeste e para 19,7% no Sudeste.

Os pagos ou ainda pagando representavam 74,1% no país, e aumentavam para 83,9% no Maranhão e 83,7% no Piauí. No Distrito Federal, caíam para 59,3%.

No Brasil, 88,4% das casas eram de alvenaria ou taipa com revestimento, 6,3% eram sem revestimento e 4,8%, de madeira. O piso predominante (76,6%) era  cerâmica, lajota ou pedra, com 15,6% de cimento (32,3% no Nordeste) e 6,7% de madeira (23,5% no Sul).