Armazém do campo

Capital mineira ganha armazém de produtos da reforma agrária

Depois de Porto Alegre e São Paulo, Belo Horizonte inaugura loja do MST. Além de doces e bebidas, o arroz orgânico do movimento, que é o maior produtor do cereal sem agrotóxicos na América Latina

Facebook/MST
armazém.jpg

Militantes, artistas, políticos e a população foram à inauguração do Armazém do Campo em Belo Horizonte

São Paulo – A venda de alimentos livres de agrotóxicos e transgênicos, produzidos em assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), tem agora um novo endereço: a região central de Belo Horizonte. Ontem (25), o movimento inaugurou na capital mineira sua terceira loja do Armazém do Campo. As duas primeiras foram abertas em Porto Alegre e São Paulo.

O Armazém de Belo Horizonte oferece mais de 250 produtos, entre cafés, doces de leite, sucos de uva e cervejas artesanais. O destaque é para o arroz orgânico produzido no Rio Grande do Sul pelo MST, maior produtor do grão sem uso de venenos agrícolas em toda a América Latina.

Ao jornal Brasil de Fato, a mineira Edi Faria de Almeida disse que a população do estado esperava por uma loja como essa. “É uma oportunidade que nós temos de comprar alimentos sadios, sem agrotóxicos, sem conservantes e, além do mais, é a forma de nós da cidade ajudarmos essa luta tão difícil, tão heroica, tão persistente dos trabalhadores sem terra”.

Altair Moreira também foi ao Armazém para contribuir com a luta dos camponeses do MST. E levou para casa feijão, chicória e mel. “No momento que nós estamos vivendo hoje, é importante você marcar esse terreno, que o MST, acima de tudo, produz produtos importantes para a alimentação e tudo orgânico”.

Mais de 90% dos produtos que estão na loja são produzidos em assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra espalhados por todo o Brasil.

O dirigente do setor de produção do MST e coordenador do Armazém do Campo, Ademar Schusk, destacou que esse é o ideal que norteia o funcionamento dos estabelecimentos do MST.

“O Armazém do Campo tem como filosofia a venda de produtos vindos de assentamentos de reforma agrária, priorizando os produtos que são orgânicos”. Praticamente 80% da nossa loja é orgânica. Os que ainda não são orgânicos estão em processo de transição.

Integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), artistas como Aline Calixto e Flávio Renegado, além de políticos locais, estiveram no ato político que marcou a abertura do armazém. A infeliz liderança brasileira no ranking mundial dos países consumidores de agrotóxicos foi lembrada pelos participantes.

O deputado Rogério Correia (PT) também compareceu para prestigiar o trabalho camponês. “Lá eles ganham a vida, lá os filhos vão para a escola, estudam. É outro programa, que é o programa da agricultura familiar, que é o oposto do agronegócio. A produção de alimento é feita em 70% pela agricultura familiar, que é um novo modelo. Quando você compra aqui na cidade, você está incentivando que se tenha um novo modelo de desenvolvimento, que traz justiça social”, disse.

As atividades de inauguração do armazém se estenderam até o dia de hoje, que começou com celebração ecumênica. Ao longo do dia, roda de samba e apresentação do Bloco Volta Belchior.