Home Cidadania Brasil 2016: mais mulheres, negros e idosos
Perfil muda

Brasil 2016: mais mulheres, negros e idosos

Dados do IBGE mostram que mais da metade da população é formada por mulheres, pretos e pardos (classificação do instituto). Jovens ainda são maior parcela, mas cresceu número de pessoas acima de 60 anos
Publicado por Redação RBA
11:59
Compartilhar:   
EBC
população brasileira

Pnad: os pretos cresceram 14,9% e passaram a somar 16,8 milhões, enquanto os pardos aumentaram 6,6%

São Paulo – Dos estimados 205,5 milhões habitantes em 2016, mais da metade eram negros (55%, considerando pretos e pardos, classificação do IBGE) e mulheres (51,5%), 42% moram na região Sudeste, 45% têm de 20 a 49 anos, mas a população acima de 60 está aumentando. O total de pessoas com 60 anos ou mais cresceu 16% entre 2012 e 2016, para 29,6 milhões, enquanto o de crianças de 0 a 9 anos caiu 4,7%. Todos os dados, que fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, foram divulgados hoje (24) pelo instituto.

Há maior concentração de pessoas com menos de 20 anos nas regiões Norte e Nordeste, onde 36,7% e 31,5%, respectivamente, estavam nesse grupo. Entre as unidades da federação, a concentração de idosos (acima de 60), que é de 14% na média nacional, sobe para 18,7% no Rio de Janeiro e para 17,8% no Rio Grande do Sul.

Depois do Sudeste, com 42% da população em 2016, a região Nordeste aparece com 27,6% do total. Em seguida, vêm Sul (14,3%), Norte (8,5%) e Centro-Oeste (7,6%). Em relação a 2012, a população cresceu 3,4%, de 198,6 milhões para 205,5 milhões.

Nesse período, os que se declaravam brancos diminuíram 1,8%, para 90,9 milhões. Os pretos cresceram 14,9% e passaram a somar 16,8 milhões, enquanto os pardos aumentaram 6,6%, chegando a 95,9 milhões. Esses grupos representam, respectivamente, 44,2%, 8,2% e 46,7% da população. Em 2012, eram 46,6%, 7,4% e 45,3%.

Há mais brancos na região Sul: 76,8% se declararam dessa cor, ante apenas 3,8% de pretos. Na região Norte, a situação se inverte: 72,3% se declararam pardos e 7%, pretos, para 19,5% de brancos.

Na região mais populosa (Sudeste), mais da metade – 52,2% – se declarou branca. Outros 37,6% eram pardos e 9%, pretos.

No recorte por gênero, a unidade da federação com maior número proporcional de mulheres era a Paraíba, onde elas representavam 52,8% da população. Em Pernambuco, Alagoas e no Distrito Federal, 52,3%. Em São Paulo, 51,9%. Elas só não são maioria em Rondônia (49,9%), Roraima (49,7%) e Amazonas (49,2%), todos na região Norte.