Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2017 / 10 / Festival da reforma agrária chega a Belo Horizonte neste fim de semana

Alimentar a luta, cultivar a arte

Festival da reforma agrária chega a Belo Horizonte neste fim de semana

Evento que vai até domingo traz os produtos agroecológicos e a cultura do dos acampamentos e assentamentos dos sem-terra para o centro da capital mineira
por Redação RBA publicado 06/10/2017 12h00, última modificação 06/10/2017 12h33
Evento que vai até domingo traz os produtos agroecológicos e a cultura do dos acampamentos e assentamentos dos sem-terra para o centro da capital mineira
Márcia Minillo/RBA
feira mst

Serão mais de 80 toneladas de alimentos e 150 produtos diferentes produzidos de forma agroecológica e orgânica

São Paulo – Belo Horizonte recebe neste final de semana a segunda edição do Festival de Arte e Cultura da Reforma Agrária. O evento contará com apresentações musicais, sarau de poesia, mostra fotográfica e de artes plásticas das escolas do campo, além da feira com produtos dos assentamentos dos trabalhadores rurais sem-terra. 

Com o lema “Alimentar a luta, cultivar a arte!”, o festival começa nesta sexta-feira (6), na Serraria Souza Pinto, centro da capital mineira. A além da feira e das atrações culturais, ocorrerá também a conferência "Alimentar é um ato político". 

Participam da discussão a integrante da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) Debora Nunes, o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, a doutora em agroecologia e professora da Universidade Federal de Viçosa (UFV) Irene Cardoso e a chefe de cozinha do Bar Dona Onça, Janaina Rueda.

A feira da reforma agrária traz cerca de 80 toneladas de alimentos e 150 produtos diferentes, produzidos de forma agroecológica e orgânica, direto do produtor para o consumidor. No espaço Cozinha da Roça, o visitante também pode provar pratos típicos da cozinha mineira, e também dos estados de Goiás, Bahia, Espírito Santo e Distrito Federal.

Serão mais de 30 atrações culturais, com as participações de Pereira da Viola, Wilson Dias, Rubinho do Vale, Titane, Meninas de Sinhá, os violeiros Zé Mulato e Cassiano, Pedro Boi, Sergio Pererê, Flávio Renegado, Aline Calixto, Fernando Guimarães e João Bá, além de outras manifestações artísticas dos assentamentos e acampamentos do MST. 

"Buscamos criar um momento para mostrar a cultura Sem Terra e também daqueles que estão conosco na luta, de artistas que estão ligados ao projeto da reforma agrária popular, que acreditam que a terra tem que produzir alimentação saudável e cumprir sua função social", diz Guê Oliveira, do setor de cultura do MST. 

Paralelamente ao festival, no sábado (7) e no domingo (8) também ocorre o Encontro Regional de Agroecologia, preparatória para a etapa nacional do encontro, que será realizado também na capital mineira, em 2018. 

Confira a programação do Festival

programação festival