Você está aqui: Página Inicial / Cidadania / 2017 / 09 / Ameaçados de despejo, indígenas ocupam Pico do Jaraguá e exigem falar com Alckmin

Querem ser ouvidos

Ameaçados de despejo, indígenas ocupam Pico do Jaraguá e exigem falar com Alckmin

Manifestantes ocupam antenas que servem Globo, Bandeirantes, Cultura e CPTM e esperam ser atendidos desde que a demarcação de suas terras foi suspensa. Reunião com secretários foi realizada nesta 6ª feira
por Redação RBA publicado 15/09/2017 10h44, última modificação 15/09/2017 16h25
Manifestantes ocupam antenas que servem Globo, Bandeirantes, Cultura e CPTM e esperam ser atendidos desde que a demarcação de suas terras foi suspensa. Reunião com secretários foi realizada nesta 6ª feira
dança

Manifestantes dançam em defesa de seu território no alto do Pico do Jaraguá

São Paulo – Os índios guaranis que protestam desde quarta-feira (13) contra a anulação da demarcação da terra indígena do Parque Jaraguá, em São Paulo, ocuparam a área onde ficam antenas de TV e telefonia celular. Os indígenas cobram a abertura de negociação com o governador Geraldo Alckmin, a quem responsabilizam pela anulação da demarcação da Terra Indígena Guarani, naquela área a noroeste da capital. Os cerca de 100 manifestantes que ocupam o local chegaram a ameaçar desligar os sistemas de transmissões se não forem atendidos. 

Os serviços das antenas são compartilhados por três emissoras de TV – Globo, Bandeirantes e Cultura – e atendem também rede de trens da CPTM.

Na noite desta quinta-feira (14), os indígenas se reuniram local e realizaram cerimônia de dança de defesa de seu território. Estão pintados, indicando estado de alerta. O local estava acompanhado de várias viaturas da Polícia Militar, era sobrevoado por helicóptero.

Já passava de zero hora desta sexta quando o deputado estadual Alencar Santana, líder do PT na Assembleia Legislativa, informou ter conversado com o comando da operação da PM e ouvido que a corporação apenas acompanharia o protesto e não faria nenhuma intervenção durante a noite.

A comunidade indígena Guarani tenta há cerca de 20 dias ser recebida pelo governo do estado para que a situação – que já caminhava para uma outra etapa após o reconhecimento da Terra Indígena – não volte a ser transformada em conflito de forma mais aguda.

A ocupação desta semana é resultado de um sentimento de "desconfiança" em relação à forma infrutífera com que vinha vinha sendo tratado seu pleito. 

Nas últimas horas, a negociação envolveu a Assembleia Legislativa e os integrantes do Parlamento acreditam em possibilidade de diálogo entre os Guarani e o governo Alckmin intermediado pelo Parlamento. Nesta sexta (15), por volta de meio dia, três secretários de Alckmin se reuniram com as lideranças indígenas. Segundo informou a Rádio Brasil Atual, entre as medidas acordadas está a revogação do mandado de segurança com o objetivo de garantir de que não vai haver nenhum ação do Governo do Estado contra os Índios Guarani.

Confira carta aberta da bancada do PT na Assembleia Legislativa:

Alckmin, não tire dos índios os territórios que lhes são de direito

Os deputados estaduais do PT têm acompanhado com preocupação os desdobramentos da ocupação dos índios guarani ao Pico do Jaraguá e esperam que o governador Geraldo Alckmin não se furte ao dever de interceder na situação a favor dos índios e por meio de diálogo encontre uma solução.

Em 2015, o Ministério da Justiça reconheceu a posse da terra aos índios e cinco aldeias puderam “ficar em paz”, vivendo nas terras. A terra foi destinada a essas populações depois de anos de estudos da Funai.

Alckmin contestou a demarcação na justiça e retirou dos índios o que já era deles há séculos, demonstrando a escalada cada vez maior no Brasil atual da retirada de direitos dos mais fracos pelos governos de plantão.  O governador quer conceder à iniciativa privada o Parque do Jaraguá, assim como outras áreas verdes do Estado.

Espera-se que Alckmin dialogue com os guaranis. A Liderança do PT na Assembleia Legislativa paulista está articulando uma audiência pública a favor dos indígenas e contra a retirada de suas terras pelos governos Temer e Alckmin, dois golpistas sedentos por entregar tudo o que é dos brasileiros, tudo o que é verde, tudo que é dos índios, nas mãos da iniciativa privada.

Esta reportagem da TVT é de ontem (14) à noite: