Nota de repúdio

Doria é destemperado e usa poder para desqualificar repórter, diz sindicato

Entidade defende repórter da “Folha” hostilizado pelo prefeito de São Paulo por reportagem que revela má gestão de recursos

youtube
João Doria

‘Empacam coisa nenhuma’, diz Doria sobre doações

São Paulo – O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), deveria se defender de reportagens que não gosta “com fatos e dados, e não com falatório no Facebook”. A declaração é da direção do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, que divulgou nota de repúdio à agressão verbal dirigida pelo prefeito ao repórter da Folha de S.Paulo Artur Rodrigues.

Doria postou vídeo hostil em sua rede social com objetivo de desqualificar reportagem de Rodrigues que aponta para a má gestão e o subaproveitamento de doações recebidas pelo município.

Assista

“A reportagem, correta e bem apurada, mostra que, de um total de R$ 626,5 milhões em doações de empresas anunciadas pela Prefeitura de São Paulo para a cidade, neste ano, apenas R$ 47,7 milhões foram de fato realizadas até o momento. De acordo com a entidade sindical”, diz a nota da entidade sindical, para quem o depoimento “destemperado” de Doria não contesta diretamente nenhum dado apresentado. “Busca simplesmente, com base no poder que emana de seu cargo, desqualificar o repórter e a reportagem.”

Leia também: Seis meses de Doria 

 

Leia a íntegra

Nota de repúdio à agressão verbal do prefeito João Doria a repórter da Folha

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo repudia a manifestação agressiva e descabida do prefeito de São Paulo, João Doria, contra a reportagem “Doações prometidas por Doria empacam”, publicada na edição de hoje do jornal “Folha de S.Paulo”, e contra seu autor, o repórter Artur Rodrigues.

A reportagem, correta e bem apurada, mostra que, de um total de R$ 626,5 milhões em doações de empresas anunciadas pela Prefeitura de São Paulo para a cidade, neste ano, apenas R$ 47,7 milhões foram de fato realizadas até o momento. Do restante, R$ 352,1 milhões estariam “em tramitação”, R$ 225,3 milhões não tem sequer uma “proposta oficial”, além de R$ 1,4 milhão sem informação.

O texto expõe um conjunto de dados mostrando detalhes aos leitores, exemplifica diversas situações (como empresas que dizem não ter conhecimento de doações atribuídas a elas) e dedica uma parte considerável do espaço às afirmações da própria Prefeitura a respeito da questão (o chamado “outro lado”). Sua base são os números divulgados pelos órgãos oficiais.

A matéria confirma a justeza das preocupações com a falta de transparência nas doações à Prefeitura, questão já levantada em reportagem da CBN mostrando que as doações de laboratórios farmacêuticos incluíam remédios perto da data de vencimento – inviáveis, portanto, para a comercialização.

Lamentavelmente, em resposta à reportagem, o prefeito João Doria posta em rede social um depoimento destemperado, que não contesta diretamente nenhum dado apresentado, e busca simplesmente, com base no poder que emana de seu cargo, desqualificar o repórter e a reportagem. O SJSP considera que os governantes como obrigação primeira prestar todas as informações de relevância pública que envolvem a sua gestão. A agressão a um repórter, que fez com diligência o seu trabalho de divulgar fatos de amplo interesse, mostra um governante avesso a uma análise séria de seus procedimentos, e que acredita que com base no ativismo em mídia social e na agressividade consegue calar qualquer abordagem crítica.

Da próxima vez, senhor prefeito, responda à reportagem com fatos e dados, e não com falatório no Facebook.

Expressamos nossa solidariedade ao repórter Artur Rodrigues, bem como a defesa da liberdade de imprensa, essencial para superarmos o difícil momento que vivemos em nosso país.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo – 7 de julho de 2017