Esquenta

Periferia da zona sul de SP protesta contra reformas de Temer e o desemprego

Na manhã desta quinta (27), sem-teto e indígenas fecham avenida no extremo sul da capital, antecipando a greve geral e alertando população local sobre os efeitos das reformas de Temer

Reprodução/Periferia em Movimento
Movimento Luta Popular

Movimentos do zona sul de São Paulo fazem “esquenta” para a greve geral desta sexta-feira (28)

São Paulo – Integrantes do Movimento Luta Popular (MLP), que defende o direito a moradia, e indígenas protestam desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (27), na Avenida Teotônio Vilela, extremo zul de São Paulo, contra as reformas pretendidas pelo governo Temer e também contra o desemprego. 

Cerca de 500 manifestantes, que compõem a Marcha da Periferia Contra o Fim da Aposentadoria, a Terceirização e o Desemprego, fecharam parte da via na altura do quilômetro 28, sentido centro. Apenas os ônibus foram liberados para circular.

Segundo os manifestantes, a ação de hoje serve de “esquenta” para a greve geral convocada para esta sexta-feira (28), convocada por centrais sindicais e movimentos populares, com a adesão de diversas categorias e também para chamar a atenção das autoridades para a falta de assistência e infraestrutura na região do extremo sul da capital. 

“A gente quis chamar a atenção para a região do Grajaú, Varginha, Marsilac e Parelheiros, uma região bem precarizada. Somam com a gente os índios de Paralheiros e Marsilac”, afirma Sandra Barbosa, do Luta Popular.

Em nota, o Luta Popular critica a visão da sociedade sobre o papel da periferia e o atual cenário político brasileiro: “Enquanto padecemos, no andar de cima os ricos e os políticos, abraçados em notícias e mais notícias de propina e corrupção, vivem em jatinho para as viagens, pulseiras de diamante, lagosta e tanta coisa que a gente nem imagina o que é. (…) Somos nós, os mais lascados – os que já pouco ou nada têm – que pagamos com nossa fome, nosso sangue e nossas lágrimas, a opulência de meia dúzia” 

Como parte das mobilizações deste dia 28, os movimentos populares da zona sul esperam realizar grande manifestação no Largo do Socorro, na Capela do Socorro. 

Leia também

Últimas notícias