8 de Março

Mulheres do MST ocupam usina na Bahia contra a reforma da Previdência

Ação faz parte da Jornada Nacional de Lutas das Mulheres do movimento, desencadeada no mês de março. Cerca de mil trabalhadoras rurais estão no local

reprodução/MST
Mulheres MST

Contra o agronegócio e a perda de direitos, mulheres do MST ocupam usina no sul da Bahia

São Paulo – Em uma das ações que integram a Jornada Nacional de Lutas das Mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), cerca de mil trabalhadoras rurais ocuparam na madrugada desta segunda-feira (6) a Usina Santa Maria, no município de Medeiros Neto (BA). Com o lema Estamos todas despertas! Contra o Capital e o Agronegócio. Nenhum Direito a Menos!, as integrantes do MST denunciam a retirada de direitos promovida pelo governo Temer, em especial a proposta de reforma da Previdência que tramita no Congresso. Segundo elas, são as mulheres as primeiras a sofrer com tais medidas. 

Elas protestam ainda contra a destruição da natureza resultante do modelo de produção do agronegócio, por meio dos monocultivos de eucalipto e da cana-de-açúcar na região, e reafirmam a luta pelo acesso à terra, tradicional bandeira do movimento.

O MST acusa os proprietários da Usina Santa Maria, antiga Medasa Destilaria de Álcool, de tentar encobrir os reais proprietários da fábrica, que seriam seus controladores originais, o Grupo São Luiz. A empresa teria acumulado, de acordo com o movimento, dívidas milionárias com o BNDES e diversos processos trabalhistas, além de ter sofrido ações judiciais decorrentes de violações aos direitos humanos e danos ao meio ambiente.